Comando Noticias– Seu Portal de Notícias em Indaiatuba - 15/12/2017

Publicado em: 01 novembro 2017

Rapaz bêbado dirige, bate em carro, tenta fugir, mas é preso pela Guarda

Foi o segundo caso registrado em menos de uma semana na cidade.

_MG_6161 cópia

INDAIATUBA – Em menos de uma semana, mais um caso de embriaguez ao volante foi registrado. Desta vez, de acordo com um Boletim de Ocorrência lavrado pela Guarda Civil, um rapaz de 27 anos foi flagrado sob efeito de álcool dirigindo na rua Antonio Brunette. O caso aconteceu no sábado (28).

Segundo os guardas, um carro ao lado da viatura teve que fazer uma manobra para não bater em um poste e isso atraiu a atenção deles. Para não ser abordado, o motorista tentou arrancar com o carro, mas bateu em um veículo estacionado. Depois, ainda tentou fugir e quase acertou a viatura da Guarda.




Quando foi abordado, o rapaz confessou que bebeu conhaque e, como se não bastasse, não apresentou a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Por isso, foi preso por diversos delitos, dentre eles embriaguez, desobediência e falta de CNH na direção de um veículo.

Outro caso

Dois dias antes, na quinta-feira (26), um outro rapaz também foi flagrado dirigindo bêbado e foi preso. Mesmo sendo afiançável, ele não pagou o proposto e ficou preso.

Por sorte, em nenhum destes casos houve um acidente mais grave e, esperamos, que não precise haver.

Embriaguez ao volante

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), que ajudou na elaboração da Lei Seca, estima que 54% dos motoristas brasileiros fazem uso de álcool antes de pegar o volante. Já a Pesquisa Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indica que 24,3% dos motoristas afirmam que assumem a direção do veículo após ter consumido bebida alcoólica.

A Lei Seca foi instituída em 2008. A legislação mudou o Código de Trânsito Brasileiro, estabelecendo penas para quem bebe e dirige. Mas foi a partir de 2012 que mudanças na lei aumentaram o rigor das punições, estabelecendo tolerância zero para o consumo de álcool por motoristas. Um condutor submetido ao teste do bafômetro que apresentar qualquer quantidade de álcool no organismo pode ser multado em R$ 1.915,40 e ter a carteira suspensa por um ano. A partir da detecção, no bafômetro, de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido, é considerado crime e o motorista pode ser preso.

Segundo a Abramet, o resultado do bafômetro depende muito do metabolismo de cada pessoa. Condições como alimentação e há quanto tempo a bebida foi ingerida também influenciam. Em média, duas taças de vinho ou dois copos de cerveja são suficientes para que o aparelho registre mais de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido, ou seja, o condutor pode responder criminalmente.

Em 2012 também foram ampliadas as formas de obtenção de provas sobre a condição do motorista. Além do exame de sangue e do teste do bafômetro, passaram a valer também o exame clínico, a perícia, os vídeos ou prova testemunhal.

O Brasil é um dos 25 países que estabeleceram a tolerância zero na aplicação de multas para o consumo de bebida alcoólica por motoristas e um dos 130 que usam o teste do bafômetro como forma de garantia do cumprimento da lei.

foto: arquivo/Comando Notícia

Notícias relacionadas

Siga nossa página no facebook
error: Conteúdo Protegido!