IndaiatubaPolícia

Caderno “Death Note” é apreendido em escola estadual de Indaiatuba; caso isolado é investigado

HUGO ANTONELI JUNIOR

Um caderno com nomes de alunos da escola estadual Hélio Cerqueira Leite, no Jardim América, em Indaiatuba (SP). Na capa do caderno estava escrito “Death Note”, caderno da morte em inglês, o mesmo nome de uma uma série de mangá e de um filme. Na frente dos nomes havia inscrições de como as pessoas deviam morrer, com quantos tiros, ou com faca, segundo informaram os policiais militares que apresentaram a ocorrência na Delegacia. Os dois estudantes envolvidos, de 15 anos, as famílias e a direção da escola foram à Delegacia. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Em nota, via assessoria de imprensa, “a Diretoria Regional de Ensino de Capivari informa que os responsáveis pelos alunos foram chamados à unidade. A Polícia foi acionada e um Boletim de Ocorrência foi registrado. O Conselho Tutelar será chamado para acompanhar o caso. A direção da escola planeja ações de incentivo à cultura de paz entre toda a comunidade”. O Comando Notícia apurou que trata-se de um caso isolado e que a escola tem um sistema de monitoramento por câmeras que auxilia na segurança dos alunos e funcionários.

Testemunhas contaram que os alunos saíram para fazer uma atividade no pátio da unidade escolar quando o caderno foi achado. Os dois alunos responsáveis pelo caderno, ainda segundo contaram os policiais militares que atenderam a ocorrência, chegaram a sofrer bullying. Todos os envolvidos são da mesma sala. Quando os pais foram à escola saber o que estava acontecendo, uma viatura da Polícia Militar estava passando e os agentes de segurança foram chamados. Os dois alunos envolvidos disseram tratar-se de uma brincadeira.

Massacre em Suzano

É inevitável desassociar o caso ao da cidade de Suzano (SP), que matou dez pessoas no dia 13 de março. De acordo com a Polícia Civil, na casa dos dois assassinos foram apreendidas provas como documentos e carteira, uma roupa de um personagem do desenho japonês “Death Note”, em que um jovem encontra um livro onde escreve os nomes das pessoas que quer que morra, e seis coquetéis molotov artesanais, além de granadas de fumaça.

Os policiais também apreenderam duas armas de arco e flecha, dardos, um machado, um tablet e uma CPU de computador, além de adaptadores USB, pendrive e cartuchos de videogame. Também foram recolhidos pelos investigadores munições, recarregadores do tipo “Jet Loader” e alvos para treino de tiro.

Mangá, anime e filme

Death Note é uma série de mangá que foram publicados em série entre os anos de 2003 até 2006. Em 2017 foi lançado um filme. Nele, um estudante de repente encontra um caderno que caiu do céu. O caderno Death Note permite ao seu portador matar qualquer pessoa a partir da mera anotação do nome do alvo em uma de suas páginas. Sob a influência do dono do caderno, ele passa a usá-lo para eliminar criminosos e pessoas que escaparam da justiça, o que faz com que ele seja endeusado por muitos.

No mangá, a história traz ao leitor a oportunidade de refletir sobre a ocasião de se ter poder sobre a morte (ou também, sobre até onde a vida) das pessoas pode ir. Um jogo com o juízo de valores do espectador baseado numa ideia simples: “Quem você acha que merece morrer?“. No mangá e anime, este poder é concedido a Light Yagami, um dos estudantes mais inteligentes e aplicados de sua turma. Ele encontra um caderno com os dizeres “Death Note” em sua capa, o que muda sua vida de uma vez por todas.

foto: Google