IndaiatubaPolícia

Capitão da PM dá dicas de segurança contra furtos em Indaiatuba

HUGO ANTONELI JUNIOR

Os furtos tiveram aumento perceptível nos últimos meses em Indaiatuba (SP). Por isso, o Comando Notícia procurou o capitão Paulo Bueno, da Polícia Militar da cidade, para saber algumas dicas de segurança para evitar ou minimizar as chances das pessoas sofrerem algum tipo de crime. “O criminoso está sempre esperando uma oportunidade. Ele sempre vai avaliar os riscos da ação e o lucro que ele terá com aquela ação. Sempre, sempre ele vai escolher uma pessoa desatenta”, analisa.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), Indaiatuba teve, em média, sete furtos por dia no mês de agosto e uma alta de 39% no total em relação ao mês anterior. É bom lembrar que as dicas são uma forma de ajudar a população a se preservar, mas a culpa dos crimes jamais será de uma vítima. Apesar disso, ações podem diminuir e muito a chance disso acontecer.

“O que sempre falamos no programa Vizinhança Solidária é sobre as orientações de prevenção primária. Quando eu tomo uma atitude em prol da minha própria segurança. A segurança, segundo a Constituição, é um dever do estado, mas é direito e responsabilidade de todos”, lembra.

“Quando falamos de crime é preciso sempre entender a mente do criminosos. Eles vão procurar os desatentos para o crime de furto. Seja pegar um celular que a pessoa deixou sobre o balcão, ou mulheres que andam com a bolsa para trás com o zíper aberto e até mochilas. O ideal é sempre fechar e deixar para frente, para que não haja chance do ladrão trombar ou puxar e sair correndo”, indica.

Uma das dicas mais importantes, segundo o especialista em segurança pública, é evitar a exposição de objetos. “Às vezes a pessoa está andando sem dinheiro, mas esquece do valor agregado que tem nas mãos. Por exemplo, um celular de R$ 3 mil, R$ 5 mil, um óculos que custe R$ 500. A recomendação sempre é para que, se possível, a pessoa evite de andar com dinheiro em grande quantidade, usar o cartão para pagar e evitar ser surpreendida.”

foto: Hugo Antoneli Junior/Comando Notícia