CidadesIndaiatuba

Carnaval em Indaiatuba teve mais de 20 mil litros de lixo recolhidos em 46 containers

HUGO ANTONELI JUNIOR

Passada a folia, Indaiatuba (SP) contabiliza o total de resíduos jogados nas ruas da cidade nas aglomerações. Foram mais de 20 mil litros de lixo retirados, de acordo com a Prefeitura informou ao Comando Notícia nesta quarta-feira (6), via assessoria de imprensa. O local onde houve mais lixo foi na praça Prudente de Moraes, onde aconteceu o Carnaval das Marchinhas na segunda-feira (4).

Foram retirados 12 containers de mil litros e 14 containers de 240 litros cada, ou seja, 15.360 mil litros de materiais, principalmente garrafas, papelão e copos descartáveis. Na programação que aconteceu no estacionamento do Parque da Criança, de acordo com a Prefeitura, foram retirados 20 containers de 240 litros cada, um total de 4.8 mil litros. A Secretaria de Cultura ainda não divulgou o total de foliões que participaram das programações de Carnaval.

locallixo retiradototal
Praça Prudente de Moraes

12 containers de mil litros

14 containers de 240 litros

20.1 mil litros
Barco

20 containers de 240 litros

As equipes do Comando Notícia estiveram no Barco tanto na segunda-feira (4) quanto na terça-feira (5). Nos dois dias havia muito lixo espalhado. No local havia lixeiras disponíveis e não eram todas que estavam cheias. Boa parte do lixo foi jogado muito próximo das lixeiras, inclusive.

Brasil quase não recicla plástico

O estudo “Solucionar a Poluição Plástica: Transparência e Responsabilização”, feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), mostra que o Brasil é o quarto país no mundo que mais produz lixo. São 11.355.220 toneladas e apenas 1,28% de reciclagem. Só está atrás dos Estados Unidos (1º lugar), da China (2º) e da Índia (3º).

No Brasil, segundo dados do Banco Mundial, mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular, sem tratamento e, em muitos casos, em lixões a céu aberto. Aproximadamente  7,7 milhões de toneladas de lixo são destinados a aterros sanitários.

A poluição por plástico gera mais de US$ 8 bilhões de prejuízo à economia global. Levantamento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) indica que os diretamente afetados são os setores pesqueiro, de comércio marítimo e turismo.

Segundo o estudo lançado pelo WWF, o volume de plástico que vaza para os oceanos anualmente é de cerca de 10 milhões de toneladas. Nesse ritmo, mostra a pesquisa, até 2030 serão lançados ao mar o equivalente a 26 mil garrafas de plástico para cada quilômetro quadrado (km2). Aproximadamente metade dos produtos plásticos que poluem o mundo hoje foi criada nos anos 2000.

A poluição do plástico afeta a qualidade do ar, do solo e sistemas de fornecimento de água. Os impactos diretos estão relacionados a não regulamentação global do tratamento de resíduos de plástico, à ingestão de micro e nanoplásticos (invisíveis aos olhos) e à contaminação do solo com resíduos.

A queima ou incineração do plástico pode liberar na atmosfera gases tóxicos, alógenos e dióxido de nitrogênio e dióxido de enxofre, extremamente prejudiciais à saúde humana. O descarte ao ar livre também polui aquíferos, corpos d’água e reservatórios, provocando aumento de problemas respiratórios, doenças cardíacas e danos ao sistema nervoso de pessoas expostas.

com Agência Brasil

foto: Ricardo Miranda/Comando Notícia