CidadesIndaiatuba

Construção e comércio caem e Indaiatuba registra primeira queda no emprego em 2019

HUGO ANTONELI JUNIOR

Setembro foi o primeiro mês em que Indaiatuba (SP) registrou mais demissões do que contratações no ano de 2019. A cidade perdeu 36 vagas no período, puxada para baixo pelas quedas nas áreas de construção civil e do comércio, que voltou a ficar negativo. O saldo no ano, entre janeiro e setembro, porém, está em alta. São 2.760 contratações a mais do que demissões. É como se Indaiatuba tivesse criado dez vagas por dia no ano. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e levam em conta as vagas com carteira assinada.

Melhores. O setor de serviços foi o que mais criou empregos no mês de setembro, foram 155 carteiras assinadas a mais do que as que tiveram baixa. Com o resultado, o setor assumiu a liderança e é o que mais empregou no ano até o momento, com 1.211 vagas, quase a metade do total. A indústria da transformação teve a criação de 40 vagas no período. Serviços de utilidade pública tiveram a criação de 12 vagas. Agropecuária criou três. Extrativa mineral segue com duas vagas negativas e a administração pública continua com zero.

Piores. A surpresa do mês foi o tombo da construção civil. O setor que liderava até o mês passado, retraiu em 166 vagas, mas o saldo era muito positivo. Tanto que apesar de tudo segue como o segundo maior empregador, com 1.167 vagas criadas entre janeiro e setembro. Enquanto isso o comércio segue a sina e registrou a parte baixa da montanha russa, após recuperação nos meses anteriores. O setor perdeu 80 vagas e passou de 55 vagas positivas para 25 negativas.

CAGED EM INDAIATUBA
setorjan a agojan a setsaldo
serviços1.2111.056+155
construção1.1671.001-166
ind.transf.448488+40
ser.ut.pub.4961+12
agrop2326+3
adm pub000
comércio55-25-80
mineração-2-20
total2.7962.760-36
fonte: Caged

2018 x 2019. Em relação ao mesmo período do ano passado, Indaiatuba registrou 214 vagas a mais. O setor que se destaca positivamente é a construção civil, que tem mais de 1,1 mil vagas a mais do que em 2018. A extração mineral tem seis vagas a mais. Todos os setores restantes apresentam resultados piores do que no ano passado. A indústria da transformação perdeu 744 postos de trabalho, seguido por comércio, que teve uma retração de 121 vagas.

CAGED EM INDAIATUBA
setor20192018saldo
serviços1.2111.184-27
construção1.001-91+1092
ind.transf.4481.232-744
ser.ut.pub.6198-37
agrop2634-9
adm pub000
comércio-2596-121
mineração-2-8+6
total2.7962.546+214
fonte: Caged

Brasil. Beneficiada pelos serviços e pela indústria, a criação de empregos com carteira assinada atingiu, em setembro, o maior nível para o mês em seis anos e o sexto mês seguido de crescimento. Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, 157.213 postos formais de trabalho foram criados no último mês. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões.

foto: divulgação