IndaiatubaPolícia

Corpo de um dos meninos afogados em Maresias chega a Indaiatuba

O corpo do  menino de 12 anos que morreu afogado na praia de Maresias, em São Sebastião (SP), na manhã de domingo(29), chegou em Indaiatuba (SP) na tarde desta terça-feira(1).

O irmão dele, de 15 anos, que também se afogou continua desaparecido. As buscas pelo adolescente ainda continuam pelas equipes de bombeiros do litoral. Segundo uma amiga da família o velório esta previsto para as 16h30 no cemitério Parque dos Indaiás e será de apenas 40 minutos de despedida para amigos e familiares.

Entenda o caso

Neste domingo (29) dois irmãos, um de 13 e outro de 15 anos, de Indaiatuba (SP) se afogaram na praia de Maresias, no litoral de São Paulo. Um deles se afogou e morreu, e o outro estava desaparecido até a publicação desta matéria. A família mora no Parque Campo Bonito.

De acordo com amigos que conhecem a família e também pelas publicações nas redes sociais, eles foram curtir o fim de semana na praia em uma excursão com uma van fretada, num passeio chamado de um dia; que é quando os turistas chegam pela manhã, aproveitam a praia e retornam na noite do mesmo dia para casa.

Vanessa Aparecida da Silva, mãe dos adolescentes, afirma que estava com os cinco filhos e a família em uma viagem de um dia na cidade. Os adolescentes acompanhavam a avó, de 50 anos, em sua primeira viagem à praia.

Os turistas chegaram em São Sebastião  por volta das 6h em um grupo de cerca de 20 pessoas, todos da mesma família. Eles foram direto para a Praia de Maresias, por ser uma das mais famosas da cidade.

Vanessa disse que os dois filhos entraram no mar acompanhados do cunhado e do primo, também adolescentes.

“Eu pedi que tomassem cuidado e olhava para eles, quando de repente percebi que os meninos estavam com os braços levantados. Logo chegaram pessoas para socorrer, mas meus filhos tinham sido levados”, conta.

O primo e cunhado, que conseguiram ser resgatados com vida, contaram que eles foram atingidos por uma forte onda e arrastados. “Eles disseram que tentaram segurar a mão um do outro e nadar contra a corrente, mas era muito forte e não conseguiram sair.”

Com Informações G1 Santos

Foto:arquivo/Comando Notícia