CidadesIndaiatuba

Dívidas em atraso no comércio de Indaiatuba atingem R$ 32 milhões

JOSEANE MIRANDA

O número de indaiatubanos com nome restrito para efetuar compras no comércio ultrapassou 42 mil em janeiro de 2019, aponta levantamento da Aciai (Associação Comercial e Industrial de Indaiatuba). Os dados são referentes a dívidas contraídas entre fevereiro de 2014 e janeiro deste ano. Somadas todas as dívidas o comércio local tem a receber mais de R$ 32 milhões por compras em carnês ou financiamentos. No Brasil são 62 milhões de pessoas com nome sujo na praça.

Os dados de 2019 revelam que nos meses de janeiro e fevereiro 3.344 clientes tiveram seus nomes negativados no comércio local. Nestes dois primeiros meses o comércio deixou de receber quase R$ 1,4 milhão. Os números divulgados pela Aciai a pedido do Comando Notícia revelam ainda que a restrição no crédito subiu 4,41% em 2018 se comparado ao ano de 2017.

Indaiatubano na faixa dos 30 anos lidera ranking de restrição 

A faixa etária com maior número de devedores no comércio local é dos 30 a 39 anos que corresponde a 52% dos devedores. O segundo lugar no ranking de endividamento é ocupado por moradores na faixa dos 25 a 29 anos. A taxa de endividamento nesse grupo atinge 44%. Os idosos, idade entre 65 e 84 anos, correspondem a 32% das pessoas com nome restrito no município.

Os jovens são os menos endividados. Na faixa dos 18 aos 24 anos o índice de endividamento registrado atingiu 17%. A explicação para esta menor taxa está no fato de que esse grupo geralmente não faz dívidas altas e as exigências do comércio para liberar o crédito para o grupo são maiores.

A alta taxa de endividamento preocupa o presidente da Aciai, Antônio Aparecido Pereira. “O grupo que mais preocupa são os idosos por que eles geralmente têm seus dados incluídos nas listas de mal devedores por empréstimo ou compras contraídas por familiares ou amigos e pelo endividamento no crédito consignado”.

Das negativações feitas pelos lojistas contra devedores 74% foram referentes a uma ocorrência; 24% de 2 a 5 registros e 3% de 3 a 5 registros. Nos cinco anos compreendidos no levantamento, foram efetuadas 67.863 ocorrências. Moradores da cidade podem procurar a Aciai para realizar consultas de CPF, e assim, conforme informado o local de suas dívidas, devem procurar as lojas para realizar as negociações. “Há bom senso por parte dos comerciantes locais na hora da negociação”, afirma Pereira.

Resultado do Comércio 

Apesar da alta taxa de endividamento da população, o presidente da Aciai, comemora o resultado das vendas em 2018 que define com um “ano difícil”. Ele afirma que o segundo semestre foi de recuperação para o setor. O resultado, de acordo com Pereira, deve ser comemorado e motivar ações para conquistar os consumidores.

“Nós tivemos um dezembro muito bom para o comércio de Indaiatuba. O crescimento nas vendas em dezembro foi de 7% a 11%. Em janeiro o comércio trabalhou com o recebimento das contas feitas em dezembro. Fevereiro teve o resultado esperado por conta das contas fixas dos brasileiros como quitação IPTU, IPVA, matrículas e materiais escolares”. Este mês de março o comércio já está se movimentando por conta das contrações na indústria e serviço.

Para a Aciai o desafio dos lojistas da cidade “é fazer com que o consumidor invista seu dinheiro aqui e não procure outras cidades da região ou grandes centros para adquirir os bens”. Para Aparecido ações como “Páscoa Encantada” que acontece de 6 a 13 de abril no horário das 16 às 21h movimentam a economia local e contribuem para fortalecer o setor. A Aciai recomenda que os comerciantes da área central que quiserem poderão ficar com as portas abertas até às 21h.

foto: Hugo Antoneli Junior/Comando Notícia