Cultura

“Divórcio” diverrrrrrte com sotaque caipira

Que seja eterno enquanto dure. É assim que muitos tratam o casamento. O problema é quando os dois querem que dure, mesmo que o amor seja trocado por tiro, porrada e bomba. Mas quem disse que isso não é amor? É isso que discute a comédia “Divórcio”. Filme nacional de 2017 disponibilizado nas últimas semanas na Netflix.

Protagonizado por Murilo Benício e Camila Morgado, o filme é bem simples: um casal pobre que se torna rico e quer se separar. Algumas situações deixam tudo mais engraçado, a começar pelo cenário do filme, o interior de São Paulo. Portanto, os protagonistas vão arrastar bem o sotaque e não só isso, os cenários são rurais, tem música sertaneja e até onça à moda Chico Bento.

O filme tem dois defeitos: a peruca do protagonista na primeira fase e a duração longa, mas várias qualidades. A sequência inicial dá um belo cartão de visitas, apesar de lembrar novela. É nada mais, nada menos do que um casamento em que o noivo fica no altar. Outro ponto alto é a trilha sonora.

Juno e Noeli formam a marca de molho de tomate Juno, que leva o casal a acumular uma grande fortuna. A relação do casal vai se desgastando com o passar do tempo. A única coisa que eles guardam do amor jovem é o sotaque. Agora eles tem uma grande empresa, filhos e um casamento para manter, mas este último não vai ser possível e é o que mantém o filme vivo.

Os dois procuram os melhores advogados possíveis para tentar tirar um do outro não só dinheiro, mas paz. Prepare-se para ver até tiro e explosão, é o ponto alto do filme, com sequências engraçadas, incluindo os advogados que ajudam a manter a peteca no alto. É um filme que é possível ver com a família, uma boa opção para o final do ano.