Cultura

“Dumplin” traz relação entre mãe miss com filha com sobrepeso

por HUGO ANTONELI JUNIOR

“Dumplin”, disponível na Netflix, mostra a relação de uma mulher acostumada com os concursos de beleza com a filha, que tem sobrepeso e é mais uma opção para assistir durante a quarentena. A comédia discute os padrões de beleza de forma que pode ser assistido por toda a família. A obra é baseada em um livro com o mesmo nome escrito por Julie Murphy. Confira outras dicas de filmes clicando aqui.

Estrelado por Jennifer Aniston, tem como protagonista Danielle MacDonald. Ela vive a jovem Willowdean Dickson, que tem como referência a cantora Dolly Parton. Todo o amor que recebeu na criação não foi da mãe, ex-miss e organizadora de concursos, muito ocupada, mas da tia Lucy, vivida por Hilliary Begley. Quando essa tia morre, deixa esse legado musical na sobrinha. E a mãe precisa assumir, finalmente, o seu papel. Será que consegue?

Dumplin

O mais legal é que o filme não é sobre uma pessoa gorda que emagrece e fica feliz. Ele é bem real e conecta na linguagem mais adolescente nestes pontos. O bullying é um ponto a ser tocado, mas não de uma forma que transforma os preconceituosos em vilões, mesmo reprovando as atitudes, é uma abordagem mais humanizada. Tudo isso soma para um filme muito bem feito.

Aniston é a grande estrela, nos momentos mais cômicos e no drama também, mas é impossível passar despercebido por Will, a filha, que tem uma grande atuação. A trilha sonora é inteiramente composta pela maior expoente da música country mundial, Dolly Parton. Como a história se passa em uma pequena cidade do Texas, um dos estados mais conservadores dos Estados Unidos, a escolha pela presença de Parton é uma crítica por si só.

É uma boa indicação para ver com toda a família. Leva facilmente a pensar, principalmente na relação das famílias e nos padrões de beleza, uma discussão que parece estar longe de terminar.

fotos: reprodução