IndaiatubaPolícia

Em agosto, Indaiatuba triplica mortes no trânsito; média do ano é de um a cada 11 dias

HUGO ANTONELI JUNIOR

Indaiatuba (SP) registrou 21 mortes no trânsito entre janeiro e agosto deste ano. O oitavo mês do ano foi o que mais registrou casos, seis ao todo, três vezes mais do que o registrado no mês anterior, dois. No ano todo é como se houvesse uma morte por acidente a cada 11 dias.

A maioria das vítimas fatais de trânsito em Indaiatuba é homem. Dos 21 casos registrados pelo Infosiga, 17 foram com homens. O total de mortes no trânsito, apesar da alta de agosto, se manteve praticamente estável em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 20 acidentes fatais.

No mês de agosto foram seis mortes, quatro de homens e duas de mulheres. As vítimas tem entre 20 e 76 anos. Cinco dos seis acidentes aconteceram no perímetro urbano e apenas um foi na rodovia. Entre os meses deste ano, agosto foi o que mais teve mortes no trânsito em Indaiatuba, seguido de março (4) e depois os meses de abril, maio, junho e julho, que tiveram duas mortes cada. Em janeiro e fevereiro houve um registro cada.

MORTES NO TRÂNSITO EM INDAIATUBA – 2019
homemmulhertotal
janeiro101
fevereiro101
março314
abril202
maio202
junho202
julho202
agosto426
total17321
fonte: Infosiga

Estado de São Paulo

Entre janeiro e agosto deste ano, houve cerca de 11,8 mil acidentes com vítimas por mês (94,3 mil em oito meses). Dessas ocorrências, 79% aconteceram em vias urbanas e 39% durante os períodos da noite e madrugada. Metade dos acidentes foram colisões contra outros veículos.

Já os dados para fatalidades do Infosiga SP de agosto apontam aumento de 2,8%, com 478 casos registrados neste ano e 465 em 2018. No acumulado do ano, a redução é de -1,6% (3.549 fatalidades contra 3.607 nos primeiros 8 meses de 2018).

Houve aumento no número de vítimas motociclistas (170 ante 137 no ano passado, alta de 24,1%) e pedestres (128 ante 121, aumento de 5,8%). Entre ocupantes de automóvel, a redução foi de 8,7% (116 contra 127). O índice é praticamente estável para ciclistas (40 óbitos neste ano contra 41 em 2018, queda de 2,4%).

foto: arquivo/Comando Notícia