CidadesIndaiatuba

Ensaio fotográfico do Halloween assusta vigilante no Morada do Sol

HUGO ANTONELI JUNIOR

Neste 31 de outubro, quando é lembrado o Halloween, o Comando Notícia conta uma história engraçada que aconteceu em Indaiatuba (SP). Na semana passada, a fotógrafa Isabelle Maria estava fazendo um ensaio com o tema do Dia das Bruxas com a amiga modelo Rafaella Almeida. Elas estavam acompanhadas da amiga Cléia Almeida, que fez o flagra. As fotos foram feitas no Jardim Morada do Sol, na antiga rua 76.

Por causa das maquiagens, para quem passava, parecia que a menina estava ferida. Foi o que aconteceu com o vigilante, que faz a ronda da área durante a noite, de moto. Ele passou por elas e resolveu voltar. Ele perguntou se estava tudo bem e elas revelaram que era um ensaio (confira no vídeo no final do texto). “A gente achou muito legal a preocupação dele. Está de parabéns”, diz Cléia. O Comando Notícia, sem ajuda de nenhuma bruxa, foi atrás do vigilante e o achamos.

Marcos dos Santos, de 29 anos, trabalha com segurança no Jardim Morada do Sol há oito anos. “A minha ronda começou na Ário Barnabé e vai até a rua 73, a marginal do Parque Ecológico, hoje faço rondas na antiga rua 75”, conta. “Neste dia fechei a ronda e fui subir em direção ao posto na antiga rua 80. Quando passei pela 76 vi três meninas e passando percebi que estava suja de sangue, com a blusa rasgada e um corte no rosto. Retornei e queria saber o que aconteceu com aquela moça, se tinha sido agredida ou se tinha sofrido algum acidente para levar ao hospital”, relata.

Ele diz que conversou com elas. “Olhei para ela e perguntei o que tinha acontecido. Ela explicou que era um trabalho do Halloween, até me mostrou a câmera. Aí eu fiquei mais tranquilo. Elas me agradeceram e eu continuei no trabalho”, afirma. Sobre o agradecimento delas em público, ele diz ter ficado muito feliz. “Gosto sempre de ajudar as pessoas. Eu me sinto muito feliz por isso. Fico feliz pelas meninas também terem reconhecido o meu trabalho e ver que realmente trabalho com qualidade, respeito, educação e estou sempre atendendo a população da melhor forma que eu puder. Gostei muito que vocês me procuraram”, diz.

Mulher passando mal no Cocais

Marcos conta que passou por um caso recentemente de perigo real. “Estava na rua João Martini, em frente aos predinhos. Passei pela rua e vi uma moça encostada na parede. Olhei pra ela e imaginei que estava esperando por alguém. Na volta vi que ela estava quase caída no chão. Parei a moto depressa e perguntei se estava tudo bem. Ela disse com muita dificuldade que estava passando mal. Eu segurei nos braços dela e pedi ajuda para um carro que estava passando para levar ao médico.”

Ele disse que a moça começou a espumar pela boca. “Fiquei com medo e pensando: ‘meu Deus, será que ela vai morrer em meus braços?’, porque nunca tinha me deparado com situações assim. Ela me disse com muita dificuldade que morava em um apartamento. Procuramos os pais dela e a levamos para a Upa. Eu fui junto e fiquei na espera do atendimento”, reforça. Ele ficou algum tempo no local até a chegada dos familiares e teve que ir embora continuar o trabalho. “Fico muito feliz quando a gente pode ajudar as pessoas com a nossa profissão.”

fotos: Isabelle Maria