PolíciaSorocaba

Guarda municipal de Sorocaba assassinado será enterrado nesta segunda, 3

com informações do G1 Sorocaba

O guarda civil municipal morto em frente a uma casa noturna localizada na zona norte de Sorocaba (SP), na madrugada de domingo (2), tinha pelo menos oito marcas de tiros em várias partes do corpo. A informação foi divulgada no boletim de ocorrência da Polícia Militar.

Paulo Roberto de Moraes, de 42 anos, foi encontrado morto no meio da Avenida Itavuvu, uma das mais movimentadas da zona norte. De acordo com a Prefeitura de Sorocaba, ele estava à paisana e fora do horário de serviço quando foi baleado.

Moradores contaram à polícia que ele foi assassinado depois de uma confusão em frente a uma casa noturna onde estavam centenas de pessoas. De acordo com eles, o baile funk começou à noite e durou a madrugada toda. A polícia ainda não sabe exatamente o que aconteceu, mas testemunhas disseram que o guarda estava à paisana armado e que teria se envolvido em uma briga. No meio da confusão, alguém pegou o revólver que estava na cintura da vítima e atirou contra ela.

O proprietário do bar contou à polícia que o estabelecimento estava com a lotação máxima e que, neste caso, a norma da casa é impedir a entrada de novas pessoas. Ainda segundo o dono da casa noturna, o guarda se exaltou por ter que ficar na fila, se identificou como policial, exibiu a arma e mostrou a funcional. Mesmo assim, ele não foi autorizado a entrar e acabou sendo rendido e baleado enquanto descia as escadas do bar.

O corpo dele foi encontrado em uma vala aberta por conta das obras do BRT. Ele estava com a carteira, a chave do carro e o celular. O coldre estava vazio.

Já a prefeitura informou, em nota, que o GCM teria presenciado um conflito e tentado intervir, mas a arma dele foi tomada e ele foi baleado. A prefeitura reforçou que as informações recebidas vão ser apuradas pela investigação. Peritos do Instituto de Criminalística analisaram o local onde aconteceu o crime e o carro do guarda, que estava parado a poucos metros do corpo.

A polícia vai pedir imagens de câmeras de segurança do comércio da região para tentar descobrir quem matou o guarda. Ninguém foi preso.

Paulo Roberto de Moraes estava na Guarda Civil Municipal (GCM) de Sorocaba desde 2003. De acordo com a Polícia Militar, o GCM não estava fardado no momento do crime. A arma que a vítima usava era da corporação e não foi encontrada. A Prefeitura de Sorocaba e o Comando da GCM lamentaram o ocorrido e se solidarizaram com os familiares da vítima. O enterro de Paulo Roberto está marcado para as 15h30 desta segunda-feira (3), no Cemitério Memorial Park.

foto: TV Tem