IndaiatubaPolícia

Homem de 56 anos é preso depois de se masturbar em público no Morada do Sol

HUGO ANTONELI JUNIOR

A Polícia Militar prendeu um homem de 56 anos na manhã desta sexta-feira (29) em Indaiatuba (SP). Ele é acusado de se masturbar em público. Os agentes de segurança foram acionados por uma moça de 20 anos, que acusa o homem do ato libidinoso. Para os policiais ele confessou a prática. Levado à Delegacia, o homem foi preso em flagrante por determinação da Polícia Civil.

O caso aconteceu na rua Aristóteles Pereira Santos, no Jardim Morada do Sol. A jovem de 20 anos conta que estava em casa quando o homem passou de carro. Ela disse para os militares que ele parou, tirou o órgão sexual da calça e se masturbou. Muito assustada, ela conseguiu fazer imagens do crime e ainda anotar as características do veículo dele. Em seguida, ela chamou a Polícia Militar pelo telefone 190.

Com os dados do veículo em mãos, os policiais foram até a casa do homem. Lá, ele confessou que tinha praticado o ato. Os militares informaram ao Comando Notícia que havia pelo menos mais cinco denúncias contra ele, todas muito parecidas com o caso registrado pela jovem. Os telefones para denúncias são 190 (Polícia Militar) e 153 (Guarda Civil.

Importunação sexual

Foi sancionada em setembro do ano passado a lei que criminaliza os atos de importunação sexual e divulgação de cenas de estupro, nudez, sexo e pornografia. A pena para as duas condutas criminosas é prisão de 1 a 5 anos. A importunação sexual foi definida em termos legais  como a prática de ato libidinoso contra alguém sem a sua anuência “com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”.

A nova tipificação substituiu a contravenção penal de “importunação ofensiva ao pudor” e já foi aplicada esta semana na cidade de São Paulo em ocorrências no transporte público. Antes esse comportamento é classificado de contravenção penal, punido somente com multa. A proposta também agrava penas para o crime de estupro, atualmente com pena prevista de 6 a 10 anos de prisão. Ainda pela legislação atual, nos casos em que o estupro é cometido por duas ou mais pessoas, a pena aumenta em um quarto.

A punição será aumentada em um terço se o crime for cometido em local público, aberto ao público ou com grande aglomeração de pessoas ou em meio de transporte público, durante a noite em lugar ermo, com o emprego de arma, ou por qualquer meio que dificulte a possibilidade de defesa da vítima.

com Agência Brasil

 

foto: Hugo Antoneli Junior/Comando Notícia