campinasCidades

Hospital de Campanha para coronavírus em Campinas fecha portas com 32% de ocupação

Em funcionamento desde 15 de maio, o Hospital de Campanha para casos de coronavírus em Campinas (SP) fechou as portas para novos pacientes na quinta-feira (6). Dos 84 leitos, 27 estão ocupados e os atendidos serão remanejados para leitos de retaguarda disponíveis na Rede Mário Gatti. A cidade contabiliza 20.166 infectados, incluindo 788 mortes pela doença.

O anúncio foi feito pelo prefeito Jonas Donizette e pelo secretário de Saúde do município, Carmino de Souza, em transmissão ao vivo na tarde de ontem. A previsão é que a unidade seja desativada no dia 13 de agosto.

A estrutura montada no ginásio dos Patrulheiros permanecerá montada, caso seja necessária uma reabertura para pacientes com quadro sintomático de Covid-19. No entanto, os números de quinta (06), apontam uma queda nos casos graves da doença.

“Todos os indicadores são favoráveis, numero muito menor de casos graves. Ocupação de UTI é inferior a 70%, retaguarda inferior a 50%” afirma Souza, que ressaltou a importância de se reprogramar o sistema para atendimento de outras doenças na cidade.

Em quase três meses de operação, o Hospital de Campanha registrou cerca de 600 atendimentos.

Sintomas gripais e testagem PCR

Segundo o secretário de Saúde, houve uma procura maior nas unidades básicas por pessoas com sintomas gripais. Essas pessoas também serão testadas com o PCR, para verificar sintomas ativos da Covid-19.Esse protocolo é realizado em conjunto com o estado. Campinas está entre as cidades que decidiram aderir ao monitoramento feito pelo Comitê de Contingência da Covid-19 de SP de pessoas que tiveram contato com infectados. É uma ferramenta unificada para os municípios, e a ampliação da testagem de sintomáticos leves integra esta etapa. Não diminuiu o numero total de casos de síndromes gripais. Srag diminuiu, mas existe uma procura maior nas unidades básicas por pessoas com sintomas gripais

“São quadros gripas, e não respiratórios pulmonares. […] Os números mostram que há um arrefecimento da epidemia de Covid, um menor agravamento. Estamos saindo daquela curva, mas o numero de pacientes com quadros gripais não diminuiu”, explica Carmino de Souza.

Parte dos sintomas gripais se deve, segundo o secretário, ao tempo seco. Campinas registrou nesta semana umidade do ar abaixo de 20%, o que prejudica a saúde das mucosas, que perdem a proteção natural e aumentam as chances de infecções.

 

Foto: divulgação

Com informações de G1 Campinas.