CidadesIndaiatuba

Indaiatubanos podem fazer doações para Brumadinho; veja os pontos de arrecadação

Bombeiros trabalham no resgate de vítimas em Brumadinho

Um grupo de pessoas de Indaiatuba está arrecadando doações para as pessoas atingidas pela tragédia em Brumadinho, Minas Gerais. Os donativos podem ser levados nos endereços abaixo nos horários definidos até o dia 2 de fevereiro.

Os voluntários estão pedindo para que as pessoas levem: água (galão, garrafa, copo), alimentos não perecíveis enlatados ou empacotados com vencimento após três meses, produtos de higiene pessoal, roupas e calçados (adultos e infantis), roupa de cama, banho, cobertores, fraldas P, M, G e geriátricas e ração para animais. As doações devem ser levadas por um caminhão.

Inicialmente a Defesa Civil local informou que não precisaria de doações no momento, mas que vão precisar em breve. Por isso a campanha de arrecadação tem como intenção enviar donativos no início do mês, quando eles precisarem.

PONTOS DE ARRECADAÇÃO

  • ONG -Um milhão de Amigos – rua Paul Haris, 493, Cidade Nova – de segunda a sexta das 9h às 11h e 14h às 17h
  • Comunidade Hangar 7 (fundos) – rua Dom Pedro, 68, Cidade Nova – todos os dias, das 10h às 20h
  • Salão Favorite – rua Ipiranga 94, Cidade nova – de terça a sábado, das 9h às 19h
  • Gê beleza – Av Presidente Vargas 760 – de terça a sábado, das 9h às 19 horas
  • Espaço Camila Medina – rua Seraphim Gilberto Candelo, 1355, Morada do Sol – de terça a sábado 9h às 19h
  • Loja By Fabiana Hempke – av Ário Barnabé, 1389, Jardim Morada do Sol – de segunda a sábado, das 9h às 18h
  • Colégio Ideal – rua Angelo Stocco, 240, Jardim Morada do Sol – de segunda a sexta, das 7h às 17h30
  • Loja Tawara Som – rua Jacob Lyra, 842, Jardim Morada do Sol – de segunda a sábado, das 9h às 18h
  • Adeguinha Reis – rua Antônio Cantelli, 1095, Jardim São Conrado – de segunda a sábado, das 13h às 22h
  • Espaço Formas Transformações – rua Antonio Zoppi, 550, Jardim Pau Preto – de terça a sábado, das 9h às 18h
  • Prima Projetos – rua 24 de Maio, 869, Centro – de segunda a sexta, das 8h às 17h
  • Buteco do Alemão – av do Sapezal, 690, Carlos Aldrovandi, de segunda a sábado, das 12h às 22h
  • Instituto Cultural Potala – rua Vol. João dos Santos, 1607, Centro – de seg a sábado, das 9h às 12h, 14h às 18h
  • Salão da Silvia – rua Candelária, 161, Jardim Pau Preto – de terça a sábado, das 9 às 18h
  • Gerbelli Bolos – rua 13 de Maio, 778, Centro – de segunda a sexta, 8h30 às 19h, sábados, das 8h30 às 18h

Tragédia em Minas Gerais

Uma barragem rompeu-se na cidade de Brumadinho, próxima a Belo Horizonte. O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais registrou, até o início da madrugada de sábado (26), nove mortes em decorrência do rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale, no município de Brumadinho. O último balanço da corporação informa ainda o resgate de nove pessoas retiradas com vida da lama de rejeitos e de cerca de 100 pessoas que estavam ilhadas.

A mineradora divulgou uma lista com o nome das pessoas que não fizeram contato desde o rompimento da barragem. Mais de 400 pessoas, entre funcionários do quadro e terceirizados, integram o levantamento da mineradora.

O juiz Renan Chaves Carreira Machado, responsável pelo plantão judicial em Belo Horizonte, determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão da mineradora Vale. O montante, de acordo com a decisão, deve ser depositado numa conta judicial. A medida foi tomada após o rompimento de uma barragem de rejeitos da empresa, em Brumadinho (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte.

 A Mina Feijão pertence à mineradora Vale. Dados fornecidos pela empresa e divulgados pelo governo mineiro apontam que havia 427 trabalhadores no local, dos quais cerca de 150 estão desaparecidos. O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, disse que não se sabe o que ocorreu. “Ainda é muito cedo para termos essa informação”. Segundo ele, a tragédia é mais humana do que ambiental.

com informações da Agência Brasil

foto: divulgação