PolíciaSalto

Mãe de bebê com sinais de espancamento alegou ao Conselho Tutelar que filho ‘se automutilava’

A mãe do bebê que deu entrada com sinais de espancamento em um hospital de Salto (SP) alegou ao Conselho Tutelar que o filho se automutilava. A jovem de 21 anos e o companheiro, de 30, foram presos em flagrante suspeitos de maus-tratos, na quarta-feira (4).

Segundo a Polícia Civil, a mulher mudou a versão e confirmou que as agressões ocorreram porque o bebê não parava de chorar.

Fizemos a abordagem do casal e a mãe disse que a criança provocava os hematomas nela mesma, mas é uma criança de um ano e quatro meses”, contestou Kellen Cristina Sgorlon, conselheira tutelar.

O pai do menino que costumava ficar com ele aos fins de semana, assinou um termo de responsabilidade até ser definida a guarda dele, que será transferido para um hospital de Sorocaba.

O crime

De acordo com a Polícia Civil, o Hospital Mont Serrat recebeu de manhã a criança com vários ferimentos pelo corpo. A Polícia Militar foi chamada à unidade hospitalar e abordou o casal.

Segundo a polícia, a bebê apresentava várias lesões pelo corpo, como coágulo na cabeça, corte profundo nos lábios e clavícula deslocada.

Em depoimento na Delegacia da Defesa da Mulher de Salto, a mãe disse que as agressões começaram na noite de terça-feira e terminaram pela manhã. Na sequência, os dois foram presos em flagrante.

Com informações G1 Sorocaba e Jundiaí

Foto: Antônio Ferreira