americanacampinasCidadesIndaiatubaPiracicaba

Maiores cidades da região de Campinas rejeitam reabrir escolas municipais para atividades de reforço apesar de aval do Estado

As cidades mais populosas das regiões de Campinas (SP) e Piracicaba (SP) decidiram rejeitar a hipótese de reabrir escolas municipais para aulas de reforço escolar, tutoria e atividades esportivas a partir da última terça-feira (8), embora o governo do Estado tenha autorizado a medida para municípios que estejam na fase amarela da flexibilização econômica (Plano SP) há pelo menos 28 dias.

Por outro lado, as administrações adotaram posturas diferentes sobre o funcionamento das unidades estaduais, embora também tenham autonomia para decidir sobre a reabertura delas no período de combate ao novo coronavírus; e ainda sobre a eventual liberação de instituições particulares.

A retomada das aulas presenciais está prevista para 7 de outubro no Estado, mas o governo diz que a decisão será opcional aos pais, alunos e instituições de ensino. Veja abaixo a situação de cada cidade.

Campinas

O Executivo vetou a retomada das aulas presenciais até 15 de setembro na rede pública e particular, até que a situação seja reavaliada. O anúncio foi feito no dia 4, quando o prefeito, Jonas Donizette (PSB), afirmou que a decisão ocorreu após uma consulta pública virtual em que questionou pais e responsáveis se as crianças iriam frequentar as aulas em caso de retorno das atividades.

Indaiatuba

A prefeitura ressaltou que a retomada das aulas presenciais estão descartadas na rede municipal em setembro. Por outro lado, diz que não irá interferir na decisão das unidades estaduais que optarem pela volta, desde que sigam o Plano SP; e que as instituições particulares precisam apresentar um protocolo sobre cumprimento das condições sanitárias para análise pela Diretoria Regional de Ensino.

Hortolândia

De acordo com a administração, por enquanto não há previsão sobre quando as aulas nas unidades municipais serão retomadas. Já as escolas estaduais que optarem por reabrir para oferta de atividades de reforço, diz a assessoria, devem reivindicar aval para a Diretoria Regional de Ensino.

Já as instituições privadas de educação básica, profissional e de ensino superior podem voltar às aulas e atividades presenciais a partir de 14 de setembro. A medida, neste caso, também é facultativa.

Americana

A administração informou, por meio de assessoria, que as aulas presenciais não serão retomadas nas unidades municipal e estadual em setembro. Além disso, destacou que as unidades particulares foram orientadas a permanecerem fechadas, embora avalie que não possa obrigá-las a terem esta posição.

não volta em setembro/depois do período serão avaliadas as condições para retomada ou não; particulares – prefeitura orientou para que não voltem, mas não pode obrigar o cumprimento.

Piracicaba

De acordo com a prefeitura, as redes municipal e estadual seguem protocolo do Estado sobre as aulas e, por isso, a retomada é prevista para 7 de outubro. Por outro lado, em decreto, o governo autorizou as atividades de reforço e recuperação de aprendizagem nas unidades particulares de todos os níveis.

Sumaré

A assessoria da prefeitura diz que “os assuntos ainda estão sendo discutidos” e, com isso, não informou se neste momento as escolas estão liberadas ou proibidas de retomar as atividades de reforço. Além disso, não se manifestou se deve ou não liberar a volta às aulas em 7 de outubro.

Valinhos

A assessoria informou que as atividades de reforço não foram autorizadas para as redes pública e particular. Além disso, avalia a hipótese sobre volta às aulas em 7 de outubro está em discussão.

Com informações G1 Campinas 

Foto: divulgação.