CidadesIndaiatuba

Médicas do Haoc ignoraram carta recomendando parto urgente, diz gestante

HUGO ANTONELI JUNIOR

Mesmo com uma carta de médicos recomendando a cesárea urgente, duas médicas do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc), em Indaiatuba (SP), se negaram a fazer o procedimento. Este é o relato de uma gestante ao Comando Notícia que foi feito na semana passada. Ela chegou a pagar para fazer um exame e foi até a Maternidade de Campinas (SP), onde outro médico também recomendou o parto antecipado pelos riscos à mãe e ao bebê,

“No dia 25 fiz um ultrassom e o médico me encaminhou diretamente para o Haoc. Como eu estava com pouco líquido amniótico havia riscos para o bebê. Fui atendido por um médico muito atencioso que me internou e pediu exames”, conta. “O meu bebê ainda é considerado prematuro com 34 semanas. Por isso recebi medicações para fortalecer meu filho. Um dos exames que eu precisava fazer e que dependia dele para fazer o parto, nem chegou a ir para o laboratório, simplesmente sumiu. Me deram alta sem o exame.”

Foi aí que ela resolveu fazer exames particulares. “Graças a Deus deu negativo esse exame”, afirma. Em outros exames feitos na semana seguinte ela disse que foi novamente recomendada a cesárea por causa do exame do coração. As médicas ignoraram o pedido. “Elas se negaram a ler a carta que foi enviada pelo meu médico dizendo que ele vive mandando pacientes para o hospital sem ter nada. Fui mandada embora para a casa novamente”, diz.

“Fui até a maternidade de Campinas e lá o médico fez todos os exames e me disse que eu precisava fazer a cesárea no mesmo dia. Ele disse que a pressão estava alta e o líquido muito baixo, que não poderia mais esperar”, relata. Ela foi enviada novamente para o hospital de origem, o Haoc. “Mais uma vez não me deram atenção. Não deram atenção ao ultrassom, nem à carta”.

Depois de alguns dias ela conseguiu ter a cesárea com outra médica, também do Haoc. “Foi maravilhosa, graças a Deus estamos bem”, relata. Em nossa cidade, infelizmente tem muitos médicos que não são preparados, mas graças a Deus há exceções”, desabafa.

O Haoc foi procurado, mas não respondeu.

foto: arquivo/Comando Notícia