campinasCidades

Morre o padre Haroldo Joseph Rahm, aos 100 anos; enterro será no Mosteiro de Itaici

O padre Haroldo Joseph Rahm, missionário americano referência no acolhimento de dependentes químicos, morreu, na tarde deste sábado (30), aos 100 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do instituto criado por ele há 41 anos, que tem sede em Campinas (SP).

Padre Haroldo não estava internado e morava na Casa dos Jesuítas Companhia de Jesus, em São Paulo. O missionário recebia assistência de enfermeiros e cuidadores no próprio local. A casa recebe jesuítas de todo o mundo que realizam missão no Brasil, seja em forma de hospedagem ou para acompanhamento com profissionais multidisciplinares – caso de Haroldo. Ele teve uma parada cardíaca na residência.

O prefeito Jonas Donizette (PSB) decretou luto oficial de três dias por conta da morte. A cerimônia de velório de Padre Haroldo acontece neste domingo (1), das 8h às 15h, no Paço Municipal de Campinas (SP). Depois, o corpo seguirá em cortejo para o Mosteiro de Itaici, em Indaiatuba (SP), onde será sepultado às 17h, após uma missa marcada para às 16h.

Biografia

Haroldo Joseph Rahm, mais conhecido como Padre Haroldo, nasceu no Estado do Texas, nos Estados Unidos, em 22 de fevereiro de 1919. No Brasil, ele tomou a frente de programas de evangelização e obras sociais, coordenando pessoalmente a criação das chamadas Casas Dia, com dezenas de unidades espalhadas pelo País para o amparo e os cuidados com dependentes químicos. O projeto serviu de base para a criação do instituto que leva seu nome em Campinas, onde milhares de pessoas já foram atendidas. O trabalho tem o reconhecimento até no exterior. A prefeitura de El Paso, no Texas, onde ele nasceu, o condecorou em 2016 com o título de “Cidadão do Ano”.
Padre Haroldo, desde muito cedo, já era conhecido também por dedicar sua vida em prol de terceiros. Nos Estados Unidos, ele já desenvolvia, por exemplo, desde jovem, uma série de trabalhos sociais com jovens que viviam na fronteira com o México. Ele chegou ao Brasil em 1965 e se naturalizou brasileiro anos depois, em 1986. Em 1978, fundou a entidade filantrópica “Associação Promocional Oração e Trabalho” (APOT) que em 2009 foi rebatizada com seu nome pela diretoria. Ao longo de sua vida, Padre Haroldo também ministrou dezenas de cursos, recebeu diversos prêmios e publicou mais de 50 livros. Ainda não há informações sobre seu velório e enterro.
fotos: divulgação