IndaiatubaPolícia

Mulher cai em golpe telefônico e perde R$ 3,5 mil

Uma mulher de 52 anos teve um prejuízo de R$ 3,5 mil depois de cair em um golpe telefônico em Indaiatuba (SP). Moradora da rua Angelo Stocco, no Jardim Morada do Sol, ela recebeu uma ligação que se identificou sendo do banco que ela é cliente. Nesta ligação, a pessoa disse que o cartão dela tinha sido clonado.

Se identificando como funcionário do banco, o telefonista disse para que a mulher cortasse o cartão no meio para que não sofresse algum tipo de golpe. O problema é que ele também disse que um motoboy ia buscar o cartão. Segundo o registro na delegacia, durante a ligação também pediram para que ela passasse a senha para quem fosse buscar o cartão.

A mulher acreditou na história. O motoboy foi até a casa dela e ela entregou o cartão. Segundo o relato para a Polícia Civil, a mulher não conseguiu ver a placa da moto ou identificar o rapaz. Ela também disse que não se lembra se passou a senha para ele. Tudo isso aconteceu na terça-feira (6).

Recomendações

A Febraban, instituição que representa os bancos, tem recomendações para que as pessoas não caiam em golpes parecidos. O golpe começa com uma ligação ao cliente, de uma pessoa se passando por funcionário do banco, dizendo que o cartão foi clonado e que é preciso bloqueá-lo. Para isso, bastaria cortá-lo ao meio e pedir um novo pelo atendimento eletrônico.

O falso funcionário pede a senha, e fala que, por segurança, um motoboy irá buscar o cartão. O que o cliente não sabe é que, com o cartão cortado ao meio, o chip permanece intacto, e é possível realizar diversas transações.

Como evitar? A Febraban recomenda que os clientes fiquem atentos. Nenhum banco pede o cartão de volta ou se oferece para retirá-lo. Então, desligue o telefone e consulte seu gerente sobre alguma irregularidade.

foto: Reginaldo Rodrigues/Comando Notícia