CidadesIndaiatuba

Pacientes relatam demora de mais de quatro horas e meia na Upa

HUGO ANTONELI JUNIOR

Os pacientes que foram à Unidade de Pronto Atendimento (Upa), no Jardim Morada do Sol, em Indaiatuba (SP), nesta quarta-feira (8) atrás de assistência médica encontraram descaso, lotação, filas e demora. O Comando Notícia ouviu pelo menos três pacientes e o tempo entre a chegada no local e a chamada médica estava entre quatro e quatro horas e meia. A impressão era de que faltavam médicos.

“É um descaso isso que vem acontecendo há muitos dias”, diz um dos pacientes, que não será identificado. “Fui atendido durante a madrugada e precisava voltar às 10 horas para pegar os resultados. Fui ser atendido apenas às 14h30”, reclama.

“São muitos pacientes idosos, doentes, cadeirantes, crianças que sofrem com isso. Vejo a Prefeitura destacando a cidade como uma das melhores para se viver, mas não lutam para que isso seja verdade”, desabafa. “Não adianta investir milhões em ruas e avenidas enquanto os hospitais estão super lotados e sem leitos, sem profissionais para atender a população”, completa.

Os pacientes ouvidos pela reportagem disseram que o atendimento na recepção foi satisfatório, mas o problema era a demora no atendimento médico. “Perguntei sobre os médicos com os atendentes”, diz outra pessoa, “e sei que eles não tem culpa. É muita demanda para pouco médico”, analisa.

“Sofremos com isso”, conta um terceiro paciente que estava na unidade. “Foram quatro horas para ser atendido. Tinha mais de 80 pessoas. Cheguei perto das 10 horas e só fui embora às 14 horas. É um descaso. Precisa melhorar isso aí”, reivindica. Por conta da lotação, alguns familiares e acompanhantes acabaram ficando do lado de fora da unidade na tarde desta quarta.

Explicações
Em nota ao Comando Notícia, a Prefeitura pediu a “compreensão por parte dos pacientes por ser um caso atípico e que o aumento de demanda pode estar relacionado aos problemas no atendimento de saúde nas cidades da região”. A assessoria de imprensa informou que “de acordo com a coordenação da Upa, hoje pela manhã chegaram muitos pacientes classificados como amarelo, ou seja, são casos emergenciais que têm prioridade no atendimento.”
A nota prossegue dizendo que “em média, o atendimento desses pacientes dura em torno de 30 a 40 minutos. Por conta do volume emergencial que foi acima da média normal, o tempo de espera chegou a 3 horas e meia, no máximo. A unidade de saúde solicitou um médico extra para a unidade o que ajudou a diminuir bastante esse tempo de espera.”
fotos: Comando Notícia