Indaiatuba

Polícia Federal cumpre mandados na Fiec em Indaiatuba contra produção de notícias falsas com fins eleitorais

A Polícia Federal (PF) cumpriu, na manhã desta sexta-feira (23), dois mandados de busca e apreensão relacionados a uma denúncia de notícias falsas com fins eleitorais em Indaiatuba (SP). Segundo a apuração, trata-se da primeira operação contra fake news eleitoral no estado de São Paulo.

De acordo com a investigação, foram apreendidos computadores, notebooks, celulares e dispositivos físicos de armazenagem de dados que seriam utilizados para produzir e disseminar notícias e acusações falsas na internet contra “candidato a cargo eleitoral” no município.

O delegado da PF responsável pela investigação, Fernando Marciano Golia explica que, com o cumprimento dos mandados, agora a apuração será aprofundada para ter certeza se a denúncia procede.

“Foram vários elementos que foram se agrupando e que levaram a indícios de que estava sendo preparado um material para ser usado como fake news, divulgando fatos inverídicos a respeito de candidatos”.

Até o momento, os indícios que nós temos é de que uma das pessoas que trabalha na Fiec estaria promovendo a elaboração e execução dessas fake news. Coincidentemente, também é a pessoa que a gente foi na casa fazer a busca e apreensão”, disse Golia.

“A maior parte dos equipamentos de armazenamento de informática não foram apreendidos na Fiec, foram apreendidos na residência dessa pessoa”, completa o delegado.

Em nota, a prefeitura informou que não teve acesso ao processo em questão e que só tomou conhecimento dos fatos no momento da ação da Polícia Federal. Além, reforçou o que foi informado pelo delegado, de que não se trata de uma ação movida contra a Prefeitura e sim contra um funcionário efetivo da Fiec .

“A Administração informa, ainda, que está à disposição para colaborar com as autoridades policiais no que for necessário para o esclarecimento dos fatos e que serão tomadas as medidas administrativas cabíveis com relação ao servidor”.

Os mandados foram cumpridos em uma casa e na Fundação Indaiatubana de Educação e Cultura (Fiec), órgão da prefeitura. O delegado da PF explicou que, a princípio, a fundação não tem relação com a denúncia e que o alvo é um trabalhador do local.

**Matéria em atualização.
Foto e vídeo: arquivo pessoal.