Cidades

Prefeitura lança plataforma própria de ensino à distância

A Prefeitura de Indaiatuba lançou em agosto a sua própria plataforma de ensino [email protected] A ferramenta apresenta uma proposta de ser um agente facilitador dos processos de ensino e aprendizagem empregando importantes paradigmas tecnológicos e da educação a distância. Todo o projeto de composição arquitetural e desenvolvimento de software foi feito pelo setor de tecnologia da Secretaria Municipal de Educação.

Essa ferramenta foi projetada para ser utilizada inicialmente na formação dos professores, que já contam com um terço da sua jornada para estudos e planejamento. Este trabalho resultou em uma economia para o município em mais de 800 mil reais por ano. A plataforma já conta com 1.300 professores inscritos e cursando os primeiros módulos.

De acordo com a secretária de Educação, Maria Eliane Faccio Valesin, a plataforma [email protected] representa um importante avanço tecnológico na gestão do conhecimento e formação continuada de todos os servidores da Rede Municipal de Ensino. “Estou muito feliz com essa ferramenta, pois além de proporcionar toda essa gestão de conhecimento, representa uma economicidade expressiva, pois podemos direcionar recursos em outras ações. O curso a distância feito por nós, tem a nossa cara e supre as nossas necessidades específicas”, salienta Maria Eliane.

Para o lançamento da Plataforma, três professores e um supervisor da educação especial elaboraram um curso voltado para educação especial inclusiva, que está sendo aplicado para todos os professores da rede Municipal de Ensino. O projeto é um modelo de desenvolvimento e implantação de um patrimônio tecnológico e de gestão de conhecimento para a administração pública. Por ser uma arquitetura de software própria, propicia a evolução, adição de novas tecnologias e adaptação de processos de ensino e aprendizagem.

De acordo com o cientista da computação, Cesar Franco de Lima, o projeto abrange diversas áreas da educação e conta com o trabalho e dedicação da equipe. “Para o sucesso do projeto, existe uma logística de sustentação, que vai desde a infraestrutura de rede de computadores, notebooks para os professores, criação da plataforma, elaboração dos conteúdos e tutoria dos cursos, todas essas realizadas pelos funcionários públicos lotados no Departamento de Tecnologia”, salienta Lima.

A primeira versão da plataforma [email protected] foi desenvolvida por três cientistas da computação e dois engenheiros de software durante doze meses. Estes profissionais são servidores públicos de carreira – Especialistas em Tecnologia da Informação – alocados diretamente na Secretaria Municipal de Educação. Todo o desenvolvimento foi apoiado por profissionais do Departamento de tecnologia educacional, como Pedagogas especialistas em tecnologias educacionais, designer instrucional, coordenadores pedagógicos, supervisores educacionais e técnicos de informática.

Além de uma indispensável instrumentação técnica, esta plataforma auxilia na gestão do conhecimento, incentivando os laços sociais em torno do aprendizado reciproco, potencializando nos cursistas habilidades como: comunicação, cooperação e o próprio desenvolvimento da inteligência coletiva”, conclui Reverton José de Paula, engenheiro da computação e designer institucional.

Para o teste inicial, foi criado um curso piloto, com o tema voltado para saúde vocal. Este curso foi elaborado pelas fonoaudiólogas escolares da Rede Municipal de Ensino de Indaiatuba, com apoio do núcleo de formação da mesma Secretaria.

Foto: Divulgação