EsporteIndaiatuba

Primavera cai nos pênaltis para o Visão Celeste e está fora da Copinha

HUGO ANTONELI JUNIOR

Acabou a Copa São Paulo de Futebol Junior para o Primavera em 2019. O time foi eliminado nos pênaltis pelo Visão Celeste, do Rio Grande do Norte, por três a dois. Com isso, repete a campanha dos dois últimos anos, caindo na terceira fase. Assista aqui o pré-jogo, leia o lance a lance, assista os pênaltis e confira as entrevistas pós-jogo.

Goleiro Patrick, do Visão Celeste, pegou duas cobranças.

No tempo normal os times empataram em um a um para cerca de três mil torcedores no estádio Ítalo Mário Limongi, em Indaiatuba (SP). O jogo aconteceu em uma temperatura próxima das 32ºC na tarde desta segunda-feira (14).

O time potiguar, único do estado na competição no momento, espera o vencedor do confronto entre Corinthians e Red Bull. Para o Primavera basta catar os cacos porque no final de semana o time principal inicia a caminhada no Paulista A3.

O jogo

O primeiro tempo foi quase inteiramente do Visão Celeste. O time abriu o placar logo aos nove minutos de bola rolando com o artilheiro José Eduardo. A bola foi perdida na defesa e os zagueiros não conseguiram conter a estrela do time adversário, que bateu na saída de Cristhian. A partir daí o Primavera precisou atacar, mas sem muito sucesso.

José Eduardo, autor do gol, é um dos destaques da competição.

O camisa 10, Vitor Fideles, oscilava entre bons momentos e erros que irritavam a torcida. Quando aos 39, Igor fez linda jogada pela direita e cruzou para que ele fizesse as pazes com os torcedores, tudo igual em Indaiatuba.

Segundo tempo

A etapa complementar foi inteira do Primavera. Com mudanças de posicionamento, o time começou a acionar mais Roney, o camisa 11, pela direita do ataque. Apesar das investidas, o goleiro Patrick – que seria o salvador nos pênaltis, fez apenas duas defesas. Uma em um chute de fora e outra em uma cabeçada de Habraão.

Criticado, Fideles respondeu com gol.

No segundo tempo o time do Visão Celeste acabou fisicamente. Foram várias as vezes em que os jogadores caíram em campo, pediam atendimento e até substituição. Com mais gás, o Primavera até que tentou, mas o jogo terminou sem mais gols. Era hora das penalidades.

Um dia é da caça, o outro…

O goleiro Cristhian fez três defesas no jogo passado e classificou o Primavera. Na abertura das cobranças desta vez deu sinais de que tudo poderia se repetir. O Primavera até saiu na frente e o Visão Celeste errou a primeira cobrança. Mas logo na sequência seguinte o time visitante tomou a frente para não sair mais.

O Primavera errou ao todo três penalidades, enquanto que o Visão Celeste cobrou quatro e acertou três. Por isso e nas mãos do goleiro Patrick terminou o chute do jogador Luis, assim como terminou também a caminhada do fantasma na competição de times de base.

Cristhian defendeu uma cobrança, mas não foi suficiente.

Vestiários

Obviamente os vestiários refletiram o resultado do jogo. Enquanto o silêncio parecia mostrar um vestiário vazio do Primavera, era possível ouvir de longe os gritos de guerra, as rezas e os aplausos do outro lado.

O clima de velório, porém, ficou com o sentimento de que bateu na trave em mais um ano, mas que chegou mais perto do que nunca de repetir uma campanha para estar entre os 16 melhores do estado na competição.

Se no ano passado a eliminação foi em um jogo em que o time mal teve chances de vencer, neste ano faltou muito pouco para obter a classificação. O azarão nordestino errou menos e segue a noite de Cinderela torcendo para que a meia-noite ainda demore a chegar, porque andar de carruagem é melhor do que vê-la como abóbora.

fotos: Hugo Antoneli Junior/Comando Notícia