CidadesIndaiatuba

Saae pede que população de Indaiatuba economize água durante período de estiagem

Segundo o Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) a região sudeste está em período de estiagem e esse ano o índice de precipitação foi abaixo da média neste primeiro semestre. De acordo com a medição realizada pela autarquia, que coleta os dados por meio do pluviômetro instalado na Estação de Tratamento de Água, ETA III no bairro Pimenta em Indaiatuba (SP), este ano choveu entre janeiro e agosto 773 milímetros, 231 mm a menos que no mesmo período de 2019, uma queda de 30%. Em 2014, quando tivemos a pior estiagem vista na região, choveu 524 mm.

Além do baixo índice pluviométrico e das temperaturas elevadas que estimulam o consumo de água e também aumentam a evaporação dos mananciais, segundo o Saae, houve um aumento de 18% no consumo de água entre os meses de abril e agosto, em relação à 2019.

O aumento no consumo também tem como causas o isolamento social devido à pandemia, onde as pessoas estão permanecendo mais tempo em suas residências, e o aumento da população de Indaiatuba. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade ganhou 5 mil novos moradores no último ano.

Segundo o superintendente do Saae, Sandro Coral, “mesmo com o sistema de abastecimento bem estruturado que temos em Indaiatuba, e todo o trabalho que a equipe do Saae vem fazendo para manter o abastecimento normalizado, o consumo está acima alto e a colaboração de população quanto ao uso consciente da água é de extrema importância. Para evitar que os níveis dos reservatórios fiquem abaixo do esperado, é primordial que todos colaborem e não desperdicem água, para que seja possível manter toda a cidade abastecida até o final desse período de estiagem, que normalmente vai até outubro e novembro”, diz Coral.

A economia no consumo de água tratada minimiza os problemas com a escassez hídrica, aumentando a vida útil dos mananciais, uma vez que se reduz o volume de água a ser captada e tratada.

Segundo estudo da ONU (Organização das Nações Unidas) uma pessoa precisa de 110 litros de água para atender todas as suas demandas diárias, no Brasil, a média da população gasta 200 litros de água por dia. Lembrando que vivemos em um país onde muitos não têm acesso à água potável diariamente, o que torna nossa média ainda mais preocupante. Poupar água é muito necessário, não apenas em períodos que não há chuvas.

Como economizar água com atitudes simples

1.Não lave a calçada, use a vassoura. Utilizar a mangueira por 15 minutos consome 280 litros de água. Quatro dias lavando você gasta mais de uma caixa d’água de 1.000 litros.

2. Fechar a torneira enquanto escova os dentes. A economia é de até 97 litros de água.

3. Não tome banhos demorados. Uma ducha de 15 minutos gasta, em média, 135 litros de água. Cerca de 5 minutos são suficientes para higienizar todo o corpo.

4. Faça a manutenção periódica dos equipamentos hidráulico no imóvel. Essas gotinhas podem custar muito caro. Uma torneira pingando pode desperdiçar até 1.500 litros de água por mês.

5. Limpe a louça antes de lavá-la. Essa é uma dica e tanto para evitar o desperdício. Tire o excesso de resíduos a seco e só depois jogue água. E não se esqueça de desligar a torneira enquanto estiver ensaboando.

6. Acumule as roupas para lavar. Assim, você enche totalmente a máquina e usa água uma vez só. E reutilize água da máquina de lavar. Essa água não é própria para o consumo, mas pode servir para lavar o quintal e dar descarga. Essa ação ajuda ao planeta e alivia o seu bolso na hora de pagar as contas. Ah, você também pode armazenar a água do banho.

 

Foto: arquivo/Comando Notícia