Indaiatuba

SOU apresenta modo Acessibilidade do aplicativo de ônibus para Associação dos Deficientes Visuais de Indaiatuba

Representantes da SOU Indaiatuba reuniram-se com integrantes da Associação dos Deficientes Visuais de Indaiatuba (ADVI) para lançar oficialmente o modo Acessibilidade do aplicativo para celular da empresa de transporte urbano do município. Cerca de 15 pessoas participaram do encontro, no último sábado (17), com objetivo de ouvir as sugestões e traçar estratégias em conjunto para atender os usuários.

A funcionalidade, totalmente dedicada às pessoas com deficiência visual, já estava ativa em versão beta no aplicativo Sancetur e chegou a uma versão atualizada para ser testada, cumprindo o intuito de entender pontos importantes da experiência do usuário para estruturar melhorias.

Cristiano Martins, Supervisor de Projetos na Mobilibus, empresa responsável pelo desenvolvimento e gerenciamento do aplicativo da SOU, apresentou de forma on-line os detalhes e as funcionalidades do modo Acessibilidade a todos os presentes, que participaram com suas sugestões.

Para o Diretor de Operações da SOU, Fábio Bortolato, a reunião foi muito positiva. “Tivemos a oportunidade de ouvir de perto as pessoas que realmente fazem o uso do modo acessibilidade no dia a dia, um ponto extremamente importante para nos ajudar a pensar em evoluções não só para o aplicativo em si, mas para proporcionar um atendimento cada vez mais inclusivo de uma maneira geral”, diz. “Muitas vezes são soluções simples, mas quem vive essa realidade pode nos dar um feedback importante.”

Adaptação inteligente

O modo Acessibilidade já é integrado ao aplicativo SOU e todo usuário do transporte urbano pode ter acesso através da função ‘mais’ no menu principal. O objetivo é que familiares também possam acompanhar as funcionalidades e auxiliar, se necessário.

Para o caso de pessoas com deficiência visual que já tiverem a configuração de seus próprios aparelhos – Android (Talk Back) ou iOS (Voice Over) – ativos em modo ‘acessibilidade’, o aplicativo faz uma leitura inteligente e já abre direto também nesse mesmo modo no dispositivo.

 

Como funciona

Dividido pelas opções ‘Pontos de Ônibus Próximos’, ‘Horários de Partida’ e ‘Como Chegar’, o modo acessibilidade funciona por comandos de toques do usuário, arrastes para direita ou esquerda e efetua orientações por assistente de voz.

Pontos de Ônibus Próximos: processado de forma integrada ao GPS do dispositivo (que deve estar ativo) orienta quais são os pontos mais próximos, como chegar a esses pontos, as linhas que passam por eles, e a previsão de chegada do veículo com atualização em tempo real.

Horários de Partida: indica a tabela de horários vigente de todas as linhas e seus locais de partida.

Como Chegar: permite que o usuário planeje seu deslocamento no momento (em tempo de duração e percurso) através do comando de voz. Bastar falar ao aplicativo o destino, que receberá informações de qual ou quais linhas deve utilizar e se será necessário caminhar a pé, quanto e para qual direção.

 

O modo acessibilidade do aplicativo  foi pensado para auxiliar as 2.000 pessoas com baixa visão e 500 pessoas cegas de Indaiatuba – dados indicados no Censo de 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e que, segundo a ADVI, estima-se ter aumentado, acompanhando o crescimento populacional no período.

O presidente da ADVI, Osvaldo Moraes, avalia a reunião entre os deficientes visuais e a SOU Indaiatuba como muito positiva. “É muito bom que estejam nos apresentando o aplicativo e ouvindo nossa opinião. O cego quer autonomia e a SOU perguntar o que achamos nos coloca na situação. Tenho certeza de que todos os participantes sairão dessa reunião contentes com isso”, comenta. “Sou estudante de Direito e uso transporte da SOU. Esta parceria de buscar as melhores soluções em acessibilidade é boa para as duas partes e para toda sociedade. Fiquei cego há 10 anos, por diabetes, pode acontecer com qualquer um e futuramente essa pessoa desfrutará dessas conquistas.”

O pedagogo Jelson Inácio de Santos, membro da ADVI, deu sugestões de soluções que serão trabalhadas pela empresa e ficou contente com o resultado do encontro. “Pensar no transporte público acessível é proporcionar vida social para as pessoas cegas. Sem o aplicativo é difícil pegar ônibus. É muito legal que a SOU esteja buscando as informações, ouvindo o deficiente, pois é importante saber a opinião de quem usa o serviço”, enfatiza.

Em uma próxima etapa da parceria, a SOU Indaiatuba e a ADVI planejam realizar uma vivência da deficiência visual para conscientizar motoristas e trabalhadores do transporte coletivo, além de trabalhar a questão do uso do cão-guia na cidade.

 

 

Foto: divulgação.