Indaiatuba

Violência feminina

Young woman showing her denial with NO on her hand. Focus on hand. Timid woman symbol of violence in the family

Por Carol Borsato

Por muitos anos as mulheres sofrem violência de todo tipo, a situação é tão grave que até as vestimentas estão inclusas nisso. Essa violência é praticada contra mulheres pelo simples fato de serem mulheres, e pode ser praticada pelo companheiro, ex companheiro, por supostos colegas de trabalho, e até por pessoas da família.

No âmbito da vida privada pode ser: o estupro, o feminicídio ou a violência obstétrica.

Também temos a violência de ação coletiva, como a política estatais de mutilação genital que infelizmente ainda é praticada em alguns lugares, organizações criminosas, como é o caso da rede de tráfico de mulheres para prostituição forçada.

Apesar da constante luta das mulheres para exercer seus direitos, infelizmente ainda existem inúmeros casos de violência contra elas que continuam sendo praticada, mesmo que tenhamos a lei Maria da Penha as coisas ainda não sofreram aquela mudança radical tão esperada e desejada.

Pois muitas não denunciam por falta de segurança, imaginem que elas precisam sair de casa e ir para outro lugar onde elas tenham total segurança. O agressor vai fazer pior ao descobrir que foi denunciado.

Por isso não pode julgar uma mulher que não denuncia seu agressor, sem pensar nessa parte.
Antes de denunciar ela precisa ter para onde ir, para recomeçar uma vida descente sem se preocupar com perseguições e ameaças.

E quem vai oferecer essa segurança 24 horas por dia, e além disso, fazer com que elas possam voltar a vida de antes?

 

 

*Carol Borsato é jornalista e é a primeira repórter deficiente visual da história de Indaiatuba (SP).

 

Foto: divulgação.