campinasCidades

Três anos após parto prematuro e imprevisto, família reencontra, por acaso, bombeiro que socorreu mãe e bebê: ‘Emocionante’

A história começou em 22 de junho de 2018, quando um menino chegou ao mundo em um parto de surpresa, no banheiro de casa, após apenas seis meses gestação. O pequeno sobreviveu porque foi socorrido por três agentes do Corpo de Bombeiros em Campinas (SP), que prontamente encaminharam mãe e bebê ao hospital. No mesmo mês, mas três anos depois, uma feliz coincidência colocou a família da criança Lucca Cassiani e um dos heróis daquele dia, o cabo Nei Papareli Valero, novamente em contato.

O reencontro ocorreu em 12 de junho deste ano, quando Lucas passeava de carro com os pais, Marcio Alessandro Cassiani e Ana Beatriz Gatto, e se deparou com uma viatura dos bombeiros parada na Avenida Doutor Antônio Carlos Couto de Barros, no distrito de Sousas.

Como que por brincadeira do destino, o menino ficou encantado e pediu para ver de perto.

O pai atendeu ao pedido e, quando se aproximou, contou ao bombeiro que estava na viatura o quanto é grato à corporação por ter salvo a vida de Lucca. O que ele não esperava é que estava agradecendo justamente o responsável pelo salvamento.

Papareli disse que ouviu o relato e começou a perguntar mais detalhes da história. Como todas as informações batiam com a ocorrência que ele havia atendido há três anos, logo comentou que ele era um dos bombeiros.

“Eu fiquei emocionado, porque também não sabia o que tinha acontecido com o menino. Eu vi ele tão pequeninho, cabia na palma da minha mão. Então foi muito bom saber o que aconteceu e ver que ele está bem”, revelou Nei.

‘A gente ficou muito emocionado’

 

Ana Beatriz pensava que seria apenas uma foto rápida e, por isso, decidiu ficar no carro, mas, quando percebeu a movimentação, já imaginava o que estava acontecendo. Assim, ela saiu do veículo, falou com o cabo e registraram o momento com uma foto.

” A gente ficou muito emocionado, porque a primeira vez que a gene viu ele estávamos em outra situação. O Lucca ficou três meses internado. Foi uma luta muito difícil, mas muito valiosa para o crescimento de nós três e o Papareli, com certeza, faz parte disso”, afirmou.

Dia do parto

 

A moradora de Campinas conta que, no dia em que Lucca nasceu, sentia dores na lombar e na barriga, mas, como estava de seis meses, não imaginava que tinha entrado em trabalho de parto. Por volta das 2h, ela foi ao banheiro e deu à luz menino.

O recém-nascido caiu no vaso sanitário e a mãe logo o tirou. O Corpo de Bombeiros foi acionado pelo pai. Quando Papareli chegou, a mulher em estado de choque. Após o susto, Nei levou a família ao Hospital da Mulher (Caism), na Unicamp.

“Graças a Deus a gente estava no dia e pode ajudar a família. Conseguimos agir rápido e conduzimos com todos os cuidados possíveis”, declarou o cabo.

Ana Beatriz lembra que o bombeiro foi essencial na operação, pois, apesar de ter outros dois profissionais que o acompanhavam, foi Papareli quem conseguiu acalmar a todos, tomar decisões e fazer as manobras necessárias para levar mãe e filho em segurança.

“Ele foi muito importante para gente, porque era o mais velho da equipe e foi ele que conseguiu nos tranquilizar”, comentou.

Lucca Cassiani nasceu de seis meses e teve a vida salva pelo Corpo de Bombeiros em Campinas (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Lucca Cassiani nasceu de seis meses e teve a vida salva pelo Corpo de Bombeiros em Campinas (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Novo reencontro

 

O bombeiro relatou que comentou a história com o comandante do Corpo de Bombeiros de Campinas, que ficou tocado e propôs um novo encontro, agora na sede da corporação, para que todos possam conversar melhor.

” Eu quero conversar  sobre o que aconteceu, porque foi uma coisa tão boa, tão gratificante” disse Papareli.

Ana Beatriz que vai ficar feliz em ir junto com a família quando a situação da pandemia da Covid-19 melhorar. “A gente quer ir sim. Nós queremos que o Lucca vá e conheça o que eles fazem, porque não deve ser fácil”, comentou, com tom empolgado.

Com informações: G1 Campinas

Foto: Sargento Piassi