CulturaIndaiatuba

Vin Diesel vira super-herói em Bloodshot

por MARCOS KIMURA*

Quatro filmes estreiam esta semana em Indaiatuba, com destaque para “Bloodshor”, com o astro Vin Diesel vivendo um herói de quadrinhos. Os outros lançamentos são “Solteira quase surtando”, uma comédia brasileira; Terremoto”, um filme-catástrofe noruegues; e “A Maldição do Espelho”, um terror russo.

“Bloodshot” é uma adaptação de uma HQ criada por  Kevin VanHook, Don Perlin e Bob Layton, na qual Vin Diesel é Ray Garrison, soldado que morreu, mas foi ressuscitado ao ser modificado geneticamente pelo governo, se tornando uma poderosa arma, capaz de se regenerar e manipular tecnologia. Mas há alguns segredos que seu salvador, dr. Emil Harting (Guy Pierce, de “Priscilla, A Rainha do Deserto”), oculta com segundas intenções. O elenco ainda inslui Toby Kebbell (“Quarteto Fantástico”), Sam Heughan (“ Outlander ”),  Eiza Gonzalez  (“Em Ritmo de Fuga”), Lamorne Morris (“New Girl”),  Talulah Riley  (“ Westworld ”) e Johannes Haukur Johannesson (“Game of Thrones”). A direção é de Dave Wilson, parceiro usual de Tim Miller (“Deadpool”).

O Relógio biológico bate à sua porta

Em “Solteira quase surtando”, Beatriz (Mina Nercessian) é uma mulher solteira convicta, de 35 anos e viciada em trabalho. Aspirações de vida comuns à muitas mulheres, como se casar, passam longe de seu mundo. Porém, ao descobrir que está entrando em uma menopausa precoce e só tem seis meses para encontrar um pai para seu futuro filho, ela vê suas convicções completamente abaladas. Com isso, ela se aventura numa missão quase impossível que envolve recuperar o tempo perdido e achar, em poucos meses, o parceiro ideal para a vida e para ser o pai do seu filho.

A ´protagonista, produtora e roteirista Mina Nercessian, também conhecida como Mina Oliveira, tem uma carreira mais internacional que brasileira, e, ao contrário do que pode parecer, não é filha de Stepan Nercessian, mas sua sobrinha. Seu pai é Xavier de Oliveira, diretor e roteirista premiado nos anos 70. O diretor Caco Souza também assinou “400 contra 1: uma história do crime organizado” e o elenco conta também com a ex-global Leticia Bierkheuer, praticamente estreando no cinema, Leandro Lima (“Coisa mais linda”) e Stepan Nercessian, nosso Chacrinha cover oficial.

Terremoto escandinavo

No ano de 1904, um terremoto de magnitude 5,4 na escala Richter sacudiu Oslo. Seu epicentro foi no “Oslo Graben”, uma fenda que atravessa diretamente a cidade. Desde então, segundo geólogos, a população da  capital norueguesa pode esperar futuros terremotos nessa área. O geólogo Kritian Elkjord (Kristoffer Joner, de “O Regresso”), ao mesmo tempo que passa por uma dolorida separação, começa a perceber sinal que um novo  tremor ainda mais devastador pode acontecer na capital da Noruega. É uma continuação de outro filme-catástrofe, “A Onda”. A direção é de John Andreas Andersen (“A Aventura dos Sete Mares”).

Espelho russo

“A Maldição do Espelho” é a sequencia de “A Dama do Espelho: O Ritual das Trevas”. Depois que o terrível fantasma da Rainha de Espadas ressurge, os alunos de um antigo colégio interno viram as próximas vítimas do banho de sangue. O terror começa a partir do momento em que eles recitam antigos encantamentos no banheiro do local para conquistar tudo o que desejam — mesmo que o preço seja suas almas.Aparentemente, a Rainha de Espadas é uma assombração parecida com a Bloody Mary inglesa e a Loira do Banheiro brasileira.

Assista mulheres

Na próxima terça-feira, 17 de março, a partir das 19h30, o projeto “Assista Mulheres” do Topázio Cinemas comemora dois anos com a exibição do longa-metragem “Tarde Para Morrer Jovem”, da diretora chilena Dominga Sotomayor Castillo. O ingresso para a sessão tem valor único de R$ 10,00 por pessoa.

O filme se passa durante o verão de 1990 no Chile. Com a crescente liberdade que se seguiu ao fim da ditadura, um pequeno grupo de famílias que vive em uma comunidade isolada aos pés dos Andes busca construir um novo mundo longe dos excessos urbanos. Nessa época de mudanças e reavaliações, Sofía, Lucas e Clara lidam com seus primeiros amores e medos, enquanto se preparam para a grande festa de Ano Novo.

A diretora Dominga Sotomayor Castillo também é responsável pelo roteiro do filme. Por essa produção, ela foi a primeira mulher a receber o prêmio de Melhor Direção no Festival Internacional de Cinema de Locarno. Também ganhou o prêmio na mesma categoria no Festival Internacional de Cinema de Rotterdam em 2019.

Após a exibição, haverá uma roda de conversa com a convidada Nádia Cristina Nogueira, doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas, com experiência nas áreas de Sociologia, Filosofia e Antropologia, atuando nos seguintes temas: questões de gênero, educação, sexualidades, feminismos, fronteiras, arquitetura e políticas públicas.

*Marcos Kimura é jornalista e curador do Cineclube Indaiatuba (SP).

foto: divulgação