IndaiatubaPolícia

Acusado de homicídio se apresenta na Delegacia; vítima namorava a mãe dele

HUGO ANTONELI JUNIOR

O rapaz acusado de matar um homem de 32 anos no domingo (17) foi à Delegacia de Indaiatuba (SP) nesta quarta-feira (20) com um advogado. De acordo com o delegado da Polícia Civil responsável pelo caso, Danilo Amancio Leme, ele exerceu o direito de permanecer calado. Depois disso, ele foi liberado, mas está indiciado pelo crime de homicídio. Ele é o principal suspeito do crime. O rapaz que morreu tinha um relacionamento com a mãe dele e este pode ser um dos motivos do crime.

A Polícia Civil ouviu nos últimos dias diversas testemunhas, apreendeu celulares e buscou imagens da Vizinhança Solidária do Portal do Sol para levantar provas para a investigação. O casal estava junto há alguns anos, mas se separou em dezembro quando o homem teria sido flagrado tocando a neta da companheira, sobrinha do acusado.

O caso foi levado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), mas não evoluiu. As investigações sobre este caso mostram que o casal teria voltado a conversar na semana passada e se encontraram no dia do crime. O filho e acusado de ser o assassino e os encontrou em uma festa poucas horas antes do crime. De acordo com a Polícia Civil, o filho disse que se a mãe voltasse ao relacionamento, mostraria que ela “não tem vergonha na cara”. Depois disso, a mulher disse à polícia que não viu mais o filho.

Imagens do local mostram uma moto passando com dois ocupantes. A moto faz o retorno. Em seguida, aparece o homem, provavelmente baleado segundo investiga a polícia. Ele caiu em frente a uma lanchonete. O crime aconteceu em frente a residência dos pais da vítima. Quem estava no comércio no momento em que isso aconteceu também será ouvido pela investigação.

O caso

Um rapaz de 32 anos morreu depois de levar um tiro na noite de domingo (17) no Portal do Sol, em Indaiatuba (SP). Ele caiu baleado e pedindo socorro em frente a uma lanchonete. Uma ambulância municipal foi chamada e socorreu o rapaz para a Unidade de Pronto Atendimento (Upa), do Jardim Morada do Sol, onde ele já chegou sem vida. Os socorristas e guardas informaram que ele foi atingido por um disparo, mas os moradores informaram ao Comando Notícia que ouviram seis disparos. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), em Campinas, e depois liberado à família

fotos: Comando Uno/Reginaldo Rodrigues/Comando Notícia