CidadesIndaiatuba

Indaiatuba: casos suspeitos crescem 762% e chegam a 68; Brasil tem 904 com 11 mortes

por HUGO ANTONELI JUNIOR

Em menos de uma semana os casos suspeitos de coronavírus em Indaiatuba (SP) saltaram 762%, passando de oito para 68 nesta sexta (20), segundo a última atualização. Um caso está descartado. Uma morte é investigada. Não há previsão de quando os exames ficarão prontos. No Haoc, hospital que atende o SUS na cidade, há nove internados, sendo que três destes estão isolados, segundo boletim divulgado pela unidade nesta manhã. Hoje houve corre-corre para comprar álcool gel na cidade.

Salto. A Prefeitura de Salto, por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica/ Secretaria de Saúde, informa que no município há 22 casos suspeitos de Covid-19 em investigação. Os casos estão sendo acompanhados pela Vigilância Epidemiológica. São 12 mulheres e 10 homens, sendo 9 notificações pela rede privada e 9 pelas Unidades Básicas de Saúde e 4 Pelo Hospital Municipal. O primeiro exame enviado foi liberado hoje com resultado Negativo para o Covid – 19. Os demais estão em investigação, aguardando resultado de exame pelo Instituto Adolfo Lutz.

Itu. A Prefeitura de Itu (SP) informa nesta sexta (20) que são 20 casos suspeitos, três descartados e 4 que estão em isolamento domiciliar por nexo causal.

Brasil

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 17h00 desta sexta-feira (20), 904 casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil em 23 estados e no Distrito Federal. São 11 mortes no Brasil, duas no Rio de Janeiro e chegou a nove em São Paulo, onde o Ministério da Saúde registrou apenas quatro mortes.

Os estados do Amapá e do Mato Grosso identificaram seus primeiros casos. O Pará já registrou dois homens infectados, na faixa etária dos 35 anos, e o Acre alcançou sete casos. Somente o Maranhão, Rondônia e Roraima ainda não confirmaram casos. O Amazonas registrou um total de sete casos e a Bahia já está com 33 infectados confirmados. Houve um salto de casos confirmados no Ceará, de 24 para 55 nesta sexta-feira.

O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde de quinta-feira (19), contabiliza 621 infectados. O órgão anunciou que deixará de trabalhar com casos suspeitos e divulgará apenas situações confirmadas e mortes.

Colapso

O sistema de saúde pode entrar em colapso em abril em decorrência da pandemia do novo coronavírus, disse nesta sexta (20) o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “No final de abril sistema entra em colapso. O colapso é quando você pode ter o dinheiro, o plano de saúde, a ordem judicial, mas não há o sistema para entrar”, afirmou o ministro.

A estimativa do Ministério da Saúde é que haja um crescimento dos casos do Covid-19 nos próximos 10 dias, uma subida mais aguda em abril, permanecendo alta em maio e junho. A partir de julho é a expectativa de início da desaceleração. Em julho começa um plateau (estabilidade) e em agosto um movimento de queda.

Mas a intensidade depende das medidas adotadas e do comportamento das pessoas, destacou Mandetta. Neste sentido, o ministro reiterou a importância da redução de circulação e iniciativas de isolamento. “Para evitar esse colapso eventualmente pode ser necessário segurar a movimentação para ver se consegue diminuir a transmissão. Quando tomamos medida de segurar 14 dias, o impacto só é sentido 28 dias depois. A cadeia é sustentada e você quebra”, comentou Mandetta.

foto: divulgação