Polícia

IPTU e empréstimo causam discussão na Câmara

HUGO ANTONELI JUNIOR

INDAIATUBA – Duas discussões dominaram a sessão de Câmara desta segunda-feira (27), os dois de autoria da Prefeitura. O primeiro foi a segunda rodada de votações do aumento do valor venal de terrenos no Jardins Di Roma e Veneza. Trocando em miúdos: aumento de Imposto Predial, Territorial e Urbano (IPTU) nos loteamentos. O texto passou com três votos contrários da oposição. [leia a coluna Curtas Comando mais abaixo]

A outra polêmica foi em cima de um pedido de empréstimo que a Prefeitura quer adquirir com o Banco no Brasil de pouco mais de R$ 800 mil para adquirir dois caminhões e um trator. A oposição votou contra, mas o projeto passou.

Os outros projetos discutidos na sessão foram a colocação do Fest Fusca no calendário municipal, da vereador Silene Carvalini (PP), criação do Dia do Esporte Clube Primavera, do Arthur Spíndola (PV) e dotações orçamentárias. Ao todo foram oito projetos, todos aprovados. Guardas foram homenageados na sessão.

Requerimentos

Dois requerimentos foram apresentados pelo vereador Ricardo França (PRP) pedindo informações sobre a folha de pagamento do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) e sobre desassoreamentos. O líder do governo, Cebolinha (PMDB) pediu vista de dez dias. França pediu de um dia. Cebolinha se irritou e resolveu votar o pedido do vistas de França e o próprio requerimento, rejeitando-o.

IMG_0027

França foi à tribuna. “Não foi colocado o pagamento dos servidores de fevereiro a outubro. Se entrasse no site do Saae, eu retirava o pedido de requerimento, mas não entrou. Não é nem para mim, é para a sociedade”, reclamou. Cebolinha, em seguida, rebateu. “Pessoalmente falei com o prefeito sobre isso. Quando estávamos em um evento e o vereador me cobrou que tinha entrado apenas os pagamentos de outubro para frente, falei com o prefeito de novo e ele ligou na hora para resolver”, conta.

“Como líder, não vou ficar à mercê de picuinhas. Nós combinamos na minha sala este pedido de vistas. Não queira tripudiar. Em momento algum deixei de responder. Isso já foi encaminhado por vocês ao Ministério Público e vocês terão as respostas”, encerrou.

IPTU

O líder da oposição, Alexandre Peres (SD) apresentou números de aumento de IPTU. “Os bairros Di Veneza e Roma teriam um aumento de 98% e 125% se o projeto for aprovado. Pego como exemplo o Jardim Monte Carlo, que aumentou de R$ 158,26 para R$ 525, mais que triplicou”, analisa. “É um impacto muito grande para quem está construindo. Eu apresentei uma emenda de haver aumento gradual, mas fui avisado pelo setor jurídico que não passaria”, diz.

IMG_0028

O líder do governo defendeu-se. “Ninguém gosta de votar aumento de impostos. Parece que nós, da situação, somos os portadores das más notícias, mas este valor anterior, na verdade, nem é pago pelo dono do terreno, mas, sim, pelo loteador. Quando o terreno foi feito era um valor, mas a estrutura foi criada e por isso acontece o aumento”, disse.

Empréstimo

A Prefeitura pediu para fazer um empréstimo de mais de R$ 800 mil para comprar dois caminhões e um trator. Os três vereadores da oposição, Peres (SD), França (PRP) e Spíndola (PV) votaram contra. “Não parece saudável para uma cidade que se orgulha das finanças fazer um empréstimo. Este dinheiro pode estar disponível no próprio orçamento se forem feitas mudanças”, sugeriu.

Pepo (PMDB) explicou a necessidade do empréstimo. “Conversamos com o prefeito para saber para quê precisava deste dinheiro e ele disse que é para comprar máquinas que a Prefeitura já usa, mas que estão alugadas. Então, haveria economia no aluguel e o pagamento pequeno mensalmente pelos veículos”, explicou.

IMG_0020

Peres esclareceu o voto contrário da oposição. “O que a gente está querendo dizer é que, se todo ano tem superávit, para quê pagar jutos de empréstimo? Se está alugando, eu também sou contra. Sou a favor da compra, mas não vejo porque, se eu tenho condições, contrair empréstimo e pagar juros para o banco”, encerrou.

Curtas Comando

Queda de braço

No pedido de vistas do vereador Cebolinha (PMDB), líder de governo, de 10 dias para o requerimento do integrante da oposição Ricardo França (PRP) houve claramente uma demonstração e até “ostentação” de poder político. França pediu um dia de vistas e, de acordo com o regimento, vale o pedido menor…

Não brinco mais

Como ficou bravo, Cebolinha pediu para votar o pedido de vistas e a situação negou com nove votos. Depois, ainda mostrando a força da situação se manteve de pé de rejeitou o requerimento. É como se dois garotos estivessem jogando bola, um pedisse falta e o outro, dono da bola, fosse embora porque achou que não foi nada.

Encher linguiça

Na discussão do empréstimo que a Prefeitura quer fazer com o Banco do Brasil foram extensos e repetitivos os discursos tanto da situação quanto da oposição. Subiram à tribuna Peres (SD), França (PRP), Spíndola (PV), Chiaparine (PMDB), Pepo (PMDB) e Cebolinha (PMDB).

Preferências automobilísticas

A Câmara votou um projeto da vereadora Silene Carvalini (PP) que institui o dia do Fest Fusca no calendário oficial do município, inclusive com a presença de organizadores do que aconteceu neste ano…

Fala, presidente

O presidente Hélio Ribeiro (PSB) fez referência ao evento dizendo que é bacana, mas que, entre os carros mais antigos, o que ele mais gosta é o Chevette…

Aprovado

Brincadeiras à parte, o projeto passou com uma emenda – que coloca o evento sempre no terceiro domingo do mês de outubro de cada ano. Ponto para os fãs de fusca e adeptos.

Fumaça preta

Parece que não vai ter confraternização dos funcionários da Câmara. Alguns deles ouvidos pelos corredores da casa disseram que neste ano não “habemus festa”…

Mão aberta

Os mesmos confidenciaram que quando o vereador Chiaparine era presidente também não tinha festa. O mais “mão aberta” para estes eventos de fechamento de ano era o presidente anterior, Cebolinha. “Nem amigo secreto?”, perguntamos. “Nem isso”.

fotos: Hugo Antoneli Junior/Comando Notícia