Política

Oposição repercute matéria do Comando Notícia na Câmara

HUGO ANTONELI JUNIOR

INDAIATUBA – Na palavra-livre da sessão desta segunda-feira (6), o vereador Ricardo França (PRP), integrante do bloco de oposição, repercutiu a reportagem do Comando Notícia sobre as divergências de informações da Prefeitura e da empresa de transporte público divulgadas na sexta-feira (3).

“Sobre a quebra de contrato, que a empresa não pagou as multas, ficou realmente difícil de entender porque são [informações] conflituosas. A Prefeitura diz ‘A’ e a empresa diz ‘B’. E as provas? A empresa apresentou as provas. O que acontece? Houve um erro de informação?”, questionou.

“A Prefeitura soltou informações equivocadas para toda a imprensa sem conferir, ou houve uma falta de comunicação?”, disse na tribuna. Os vereadores da situação não comentaram o caso. A Prefeitura também não se manifestou sobre a quebra de contrato e divergências nas informações.

Outro assunto abordado pelo vereador foi a morte de um homem na Unidade de Pronto Atendimento (Upa) depois de ter sido liberado do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc), texto publicado pelo Comando Notícia na manhã de sábado (4). “Precisamos ter mais atenção na saúde, principalmente nestes casos pontuais como este”, opinou.

CPI… só que não

No ano passado, nas proximidades das eleições, a legislatura anterior da Câmara chegou a reunir as assinaturas necessárias para a abertura de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI), uma delas sobre o transporte público. A informação de que as investigações começariam foram, inclusive, confirmadas pelo presidente na época.

As reuniões para ouvir testemunhas e buscar provas deveriam começar logo após o recesso dos vereadores, em agosto, mas o início dos trabalhos foi procrastinado até muito perto das eleições, quando as sessões se tornaram ainda mais secundárias em meio às campanhas. Meio que “no apagar das luzes”, vereadores retiraram as assinaturas e nem esta, nem a CPI da iluminação pública, saíram do papel.

“Informações inverídicas”

A Prefeitura de Indaiatuba iniciou a quebra de contrato com a empresa VB, responsável pelo transporte público na cidade, mesmo depois de ter negociado e recebido parcelas da dívida que a empresa obteve com multas sucessivas por quebra de contrato. De acordo com a Citi, atual responsável e integrante do Grupo VB, quem negociou e está pagando as dívidas é a antiga empresa, a Indaiatubana.

foto: Núbia Istela/Comando Notícia