Polícia

Educação é o tema para Clelia, Maropo, Spíndola e Wolf nesta terça-feira

Um dos temas mais debatidos nas campanhas políticas está em pauta nesta terça-feira, dia 25, com os candidatos a deputado federal de Indaiatuba para as eleições de 2018. O Comando Notícia perguntou para Clelia Santos (PRTB), Felipe Maropo (PSOL), Ricardo Spíndola (AVANTE) e Rinaldo Wolf (PT) quais as propostas para esta área específica. O candidato Hélio Ribeiro (PSB) não respondeu.

No ar desde a semana passada, a série de entrevistas mostrou as propostas dos federais para corrupção e saúde. No caso dos deputados estaduais, os temas tratados até agora foram emprego, impostos e segurança. As entrevistas serão publicadas diariamente até a semana da eleição, inclusive aos finais de semana. O tema desta quarta-feira, dia 25, será cultura e turismo.

Clelia Santos (PRTB)

“Trabalhar em conjunto com professores, diretores,  para aproximar a família das escolas públicas. Trabalhar em conjunto com as Prefeituras para criação de mais escolas de período integral. Criação de projetos de Lei, que crie  plataformas de coaching, tanto para alunos quanto para funcionários das escolas.”

Felipe Maropo (PSOL)

“Revogação da Emenda Constitucional 95 – reforma do ensino médio/BNCC; lutar pelo cumprimento do PNE avançando no acesso a vagas e superação do analfabetismo; ampliação e controle dos recursos destinados à educação; valorização dos professores e quadro de apoio em todos os níveis da educação básica com investimento na formação profissional; combater grupos econômicos que atacam o PNE e o Estado brasileiro com o objetivo de privatizar os serviços públicos e transformar a educação pública em mercadoria; por uma escola democrática, sem mordaças; aprimorar e democratizar processos de avaliação em larga escala e seus indicadores.”

Ricardo Spíndola (AVANTE)

“A educação pública precisa voltar a ter qualidade como era antigamente. Pessoas que tinham apenas o primeiro grau naqueles outros tempos possuem mais conhecimento que pessoas formadas no ensino médio. Estamos em um país de analfabetos funcionais, isso não pode acontecer! Precisamos de revisão completa de toda legislação da área educativa, eliminando as desatualizadas e tentar levar o Brasil ao século XXI, aprendendo com acertos do passado e corrigindo os erros. Além disso, precisamos tirar a política da educação. Devemos ensinar cidadania e direitos para nossas crianças, mas não transformar a sala de aula em um comitê político.”

Rinaldo Wolf (PT)

“Educação é um direito humano fundamental e um dos principais meios de acesso à Cultura, além de um instrumento poderoso de desenvolvimento econômico e social. O próximo governo só vai conseguir investir na Educação se revogar duas medidas implantadas após o Impeachment, a Emenda Constitucional 95, que congela investimentos na Educação para os próximos 20 anos, e a Reforma do Ensino Médio, uma agressão frontal à Constituição de 1988 e a Lei de Diretrizes da Educação Nacional que garantem universalidade do ensino médio como etapa final de educação básica. Após revogar as medidas congelantes, um deputado pode colaborar com as três instâncias (municipal, estadual e união), priorizando e lutando por investimentos em Educação, da creche à pós-graduação, por meio da adoção de uma série de políticas públicas integradas, complementares e articuladas. Chamar os professores e professoras para um grande debate.”

fotos: divulgação