Comando Noticias– Seu Portal de Notícias em Indaiatuba - 19/09/2018

Publicado em: 14 fevereiro 2018

Sindicalistas e funcionários da Citi protestam no Centro

Com nariz de palhaço e apito, cerca de 60 manifestantes (para a Guarda Civil) e 230 (para os organizadores), foram até a Rodoviária.

HUGO ANTONELI JUNIOR

INDAIATUBA – Uma manifestação que uniu funcionários da Companhia de Transportes de Indaiatuba (Citi), da Rápido Sumaré, e integrantes do Sindicato dos Rodoviários de diversas cidades mexeu com o Centro da cidade na tarde desta quarta-feira (14). O Comando Notícia transmitiu o protesto ao vivo, com imagens direto do local.

Com nariz de palhaço e apito, cerca de 60 manifestantes (para a Guarda Civil) e 230 (para os organizadores), foram até a Rodoviária e protestaram. A Citi, via assessoria de imprensa, afirmou que o movimento é uma iniciativa do sindicato e que não ia se manifestar. Prefeitura e Sou Indaiatuba, da Santa Cecília Turismo (Sancetur) não se manifestaram até o momento.

Eles ficaram na rodoviária quase duas horas e depois foram pelas ruas do Centro até a praça Dom Pedro, que é um grande terminal de ônibus na parte central. Ao todo estiveram reunidas mais de dez viaturas da Guarda, além das motos e da presença da Polícia Militar para manter a ordem no protesto que foi na maioria do tempo pacífico.

Em alguns momentos, as equipes do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) precisaram organizar o fluxo de veículos já que os manifestantes fecharam as ruas por alguns momentos. Os sindicalistas pedem que os cobradores sejam contratados pela nova empresa, só que a maioria dos ônibus não tem lugar para cobrador.

De manhã, os manifestantes tentaram fazer um bloqueio no estacionamento da Sou Indaiatuba, mas a Guarda não permitiu que eles chegassem perto da empresa. Por conta da obstrução da via, os ônibus precisaram ser desviados para o caminho pela rodovia Santos Dumont (SP-75) e usuários de algumas linhas reportaram atrasos ao Comando ainda no Bom Dia, Indaiatuba com Comando Notícia.

print transmissão manifestação

Momento tenso

Em um dos momentos mais complicados do protesto, os manifestantes quase agrediram um funcionário da Prefeitura que estava gravando o protesto com um celular. Os sindicalistas partiram para cima do rapaz e a Guarda precisou conter os mais exaltados, evitando uma briga generalizada ou agressões.

Ônibus chegando

Ainda durante a manhã, um ônibus cheio de manifestantes chegou à Indaiatuba e eles também participaram do ato no Centro. De acordo com os próprios sindicalistas, eles vieram de Campinas, Sorocaba e São Paulo.

Citi ainda quer reverter na Justiça

A Citi, da Rápido Sumaré, ainda espera por uma nova decisão da Justiça para tentar retomar os serviços de transporte público na cidade, mas ainda não há previsão para que isso aconteça.

Paralisação e troca de empresas

Na quarta-feira (7), durante a apresentação dos novos ônibus, o sindicato realizou uma paralisação de cerca de uma hora e meia de todos os coletivos, causando problemas para usuários.

O transporte público de Indaiatuba mudou de mãos neste final de semana. Saiu a Companhia de Transporte Público de Indaiatuba (Citi), da Rápido Sumaré, e entrou a Sou Indaiatuba, da Santa Cecília Turismo (Sancetur). A Prefeitura ganhou na Justiça o direito de colocar a Sancetur no dia 31 de janeiro e marcou a data para 10 de fevereiro. No último dia de operações, a Citi conseguiu reverter a situação com uma liminar e operou normalmente no sábado (10), mas na tarde do mesmo dia a Sancetur obteve o direito de operar o transporte na cidade.

Confusão

A Citi operava em Indaiatuba com uma liminar desde novembro. No dia 31 de janeiro uma decisão devolveu para as mãos da Prefeitura o transporte na cidade e a mesma decretou que a Sancetur assumiria em 10 de fevereiro. A administração marcou, então, para quarta-feira (7) a apresentação dos novos coletivos e anunciou na ocasião que queria promover o “melhor transporte público” do Brasil.

O Sindicato dos Rodoviários chegou a convocar uma greve, mas depois recuou e os ônibus circularam normalmente nesta sexta-feira (9). A reivindicação é que a empresa nova contratasse também os cobradores, já que é proibido por lei o acúmulo das funções.

fotos: Hugo Antoneli Junior/Reprodução/Comando Notícia

Notícias relacionadas

Siga nossa página no facebook

error: Conteúdo Protegido!